falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Sociedade está despreparada para o Metaverso - Consecti

Notícias
18 março 2022

Sociedade está despreparada para o Metaverso

O metaverso desafia o conceito da descentralização e deve provocar profundas mudanças, alertou o professor Gil Giardelli, ao participar de evento para imprensa da NTT Data, ex-everis, realizado nesta quinta-feira, 17/03.Segundo ele, as tecnologias que propiciam o metaverso estão praticamente prontas. “Quem não está pronta é a sociedade”, alertou, chamando a atenção para a dicotomia existente entre a formação das pessoas e as demandas. “Nem todo emprego cabe no século 21”, disse.

Mesmo que as tecnologias necessárias estejam disponíveis e que haja conexão à internet boa o suficiente para suportar, o metaverso ainda está em processo inicial de adoção. Questionado se haverá um dono do metaverso ou concentração, o especialista disse acreditar que não — e explicou que com blockchain fica difícil ter um dono. “A colaboração nunca foi tão importante.”

Segundo Giardelli, o metaverso compreende muitos endereços diferentes e caminha-se para que a internet não seja apenas device, mas esteja presente nos ambientes, nos corpos. “Hoje, vivemos a Web 2.0 e, agora com 5G, 6G, estamos entrando na Web 3.0, que é um mundo híbrido, com experiências imersivas”, apontou Giardelli, explicando que a Web 3.0 é uma resposta para haver uma nova descentralização da web.

Para Cauê Dias Silva, gerente de inovação na NTT DATA Brasil, metaverso e Web 3.0 referem-se a um ambiente computacional que existe em um espaço 3D, com realidade virtual, aumentada e mista. “A web espacial permitirá que usuários construam um gêmeo de realidade física em um reino virtual e tragam o mundo digital para o real”, disse. Ao explicar o metaverso, o executivo disse que se trata de uma mistura de tecnologias que são capazes de dualidade entre os mundos físico e digital.

Repensar o ser humano

A edição 2022 do Accenture Technology Vision “Encontre-me no Metaverso: A recorrência da tecnologia e da experiência remodela as empresas as empresas”, mostra que à medida que tecnologias como a realidade estendida, blockchain, gêmeos digitais e computação de borda convergem, levam a repensar a experiência humana.

Para Paul Daugherty, diretor-geral de tecnologia e CTO da Accenture, e David Droga, CEO e diretor criativo da Accenture Interactive, a próxima geração da internet já está em desenvolvimento e impulsionará uma nova onda de transformação digital muito maior do que tudo o que vimos até hoje. Segundo eles, essa nova onda irá transformar a forma como vivemos e trabalhamos.

O metaverso é visto como algo contínuo, desafiando visões predominantes e mais estreitas. Por isso, dizem os especialistas, é importante que as organizações repensem suas formas de agir imediatamente. Do contrário, operarão em mundos projetados por e para outras pessoas.

Como parte do estudo, a Accenture conversou com mais de 4.600 líderes de negócios e de tecnologia em 23 setores espalhados por 35 países. Em um primeiro estágio, 71% dos executivos afirmaram que o metaverso terá um impacto positivo em suas organizações, enquanto 42% acreditam que será algo revolucionário ou extremamente transformador.

Fonte: Convergência Digital