falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Organizações brasileiras estão entre parceiros para construção "responsável" do metaverso - Consecti

Organizações brasileiras estão entre parceiros para construção "responsável" do metaverso - Consecti

Notícias
19 maio 2022

Organizações brasileiras estão entre parceiros para construção “responsável” do metaverso

Quatro organizações brasileiras – ITS Rio (Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio), IRIS (Institute for Research on Internet and Society), Safernet e IP.Rec – estão entre os dez novos parceiros anunciados pela Meta no âmbito dos Programas XR e Fundos de Pesquisa. O objetivo é fomentar projetos e pesquisas externas que ajudem os esforços de construção responsável do metaverso, com bem-estar e segurança.  

Os investimentos totais, ao longo de dois anos, serão de US$ 50 milhões. Por meio deste fundo, a Meta vai colaborar com parceiros na indústria, grupos de direitos civis, governos, organizações sem fins lucrativos e instituições acadêmicas para determinar como construir essas tecnologias de forma responsável. 

O metaverso é um conjunto de espaços virtuais que podem ser criados e explorados por pessoas que não estão num mesmo espaço físico. Neles, é possível estar com amigos, trabalhar, jogar, aprender, comprar, criar e muito mais.  

A seguir, as iniciativas parceiras anunciadas e os detalhes sobre seus projetos. Seis delas são latino-americanas:   

  • O ITS Rio (Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio, Brasil) vai estabelecer um hub de especialistas para identificar e informar oportunidades e desafios de inovação do metaverso nos países da América Latina, particularmente no Brasil. 
  • O IRIS (Institute for Research on Internet and Society, Brasil) estudará privacidade e proteção de dados em tecnologias imersivas no contexto das políticas e estruturas de governança existentes. 
  • A Safernet (Brasil) organizará um programa que inclui workshops e hackathons para discutir a segurança de mulheres e crianças em experiências de realidade virtual e aumentada.  
  • O IP.Rec (Brasil) analisará as políticas públicas brasileiras aplicáveis à realidade virtual e aumentada. 
  • O C-Minds Eon Resilience Lab (México) vai se conectar a especialistas de toda a região para discutir e pesquisar oportunidades econômicas, privacidade e segurança, gênero e governança, incluindo a aplicação de tecnologias de aprimoramento de privacidade no metaverso. 
  • A Fundación Universidad de San Andres (Argentina) vai pesquisar tecnologias imersivas, além de identificar oportunidades e desafios éticos no metaverso, com foco em abordagens legais e regulatórias, conexão de interoperabilidade social e técnica, além de inclusão. 
  • Com o objetivo de preparar a força de trabalho dos Estados Unidos, a Meta está lançando uma parceria com a Jobs for the Future (Estados Unidos) para demonstrar como as tecnologias de realidade virtual e aumentada podem fortalecer a competitividade de pequenas e médias empresas ao requalificar trabalhadores, principalmente aqueles que estão em desvantagem no mercado de trabalho. 
  • A Chuo University (Japão) terá como foco pesquisas que possam melhorar o ensino e a aprendizagem de línguas estrangeiras, lideradas por Yukie Saito, professor associado da Faculty of Global Informatics. 
  • O Projeto Rockit (Austrália) investigará, por meio de uma série de consultas, as perspectivas dos jovens sobre seus relacionamentos com realidade virtual e aumentada, e também o que é necessário para criar comunidades sociais online mais seguras. 
  • A Australian National University (Austrália) vai explorar a estrutura do metaverso como um sistema: a interação dos elementos técnicos, sociais, culturais, regulatórios e ambientais. 

Outros parceiros anunciados anteriormente foram: 

  • Digital Wellness Lab do Boston Children’s Hospital, afiliado da Harvard Medical School, que focará em melhorar nosso entendimento de como podemos promover a alfabetização digital dos jovens e incorporar o bem-estar às tecnologias emergentes do metaverso. 
  • Everfi, que desenvolverá e implementará um programa de alfabetização digital para alunos de 13 anos ou mais para promover a segurança e o bem-estar do metaverso. 
  • Dr. Lewis Bernstein, ex-vice-presidente executivo de pesquisa e divulgação educacional no Sesame Workshop, que será conselheiro sobre a criação de conteúdo de alfabetização digital apropriado para o desenvolvimento para jovens no metaverso. 
  • Colorintech (Reino Unido), que organizará uma competição para criadores inspirarem ideias sobre equidade dentro do metaverso e prêmios para apoiar criadores de grupos sub-representados. 
  • Alte Nationalgalerie (Alemanha), que fará uma ponte entre as artes visuais e as artes virtuais, por meio de uma experiência inclusiva. 
  • Peres Center for Peace and Innovation (Israel), que reunirá startups e desenvolvedores de realidade virtual e aumentada para criar oportunidades de impacto econômico e social no metaverso.

Fonte: TI Inside