falecom@consecti.org.br
(61) 3142-0555

Hospitais universitários do Brasil entram em rede latina de cibersegurança - Consecti

Hospitais universitários do Brasil entram em rede latina de cibersegurança - Consecti

Notícias
17 janeiro 2023

Hospitais universitários do Brasil entram em rede latina de cibersegurança

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que atua nos 38 hostpitais universitários do país, se associou a um projeto que reúne vários países latinoamericanos de colaboração para detecção de ameaças cibernéticas.

A iniciativa, iniciada pela Corporação Equatoriana para o Desenvolvimento da Pesquisa e a Academia (CEDIA) e pela Shadowserver Foundation, está implantando uma rede de sensores na América Latina e Caribe, usando como base a tecnologia desenvolvida pela Shadowserver para automatizar implantações de sensores e a experiência da CEDIA como centro de resposta a incidentes de segurança de TI (CSIRT).

Essa rede oferece uma visão única das ameaças de IoT na região e, juntamente com uma campanha de comunicação, ajudará a reduzir o número de dispositivos infectados. Os dados gerados serão compartilhados com 21 CSIRTs nacionais e 235 proprietários de rede na região, e também com um total de 109 CSIRTs nacionais e mais de 5.000 proprietários de rede em todo o mundo através dos feeds diários de ações corretivas do Shadowserver.

O projeto usará honeypots de código aberto relacionados à IoT existentes e os implantará em larga escala usando a estrutura Shadowserver. O projeto será apoiado por uma combinação de serviços VPS pagos e nós doados por terceiros. Pelo menos 50 sensores serão colocados em 15 países.

No Brasil, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (equivalente à equatoriana CEDIA) é quem apoia a estrutura da Equipe de Tratamento de Incidentes de Redes da Ebserh. A RNP implementou os sensores em duas localidades em Brasília e pretende expandir futuramente. A iniciativa promete melhorar o ecossistema de cibersegurança da rede de hospitais.
Assim, os sensores honeypot podem contribuir decisivamente para superar um dos principais desafios da atualidade no combate a crimes cibernéticos: a identificação da origem e os modos de ação dos usuários maliciosos. A ferramenta é particularmente relevante num ambiente cada vez mais digitalizado de prestação de serviços públicos, em que a dimensão da cibersegurança é imprescindível para o funcionamento desses serviços.
Fonte: Convergência Digital