falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Fundo Indicator 2 IoT completa primeiro ano com mais de R$ 70 milhões investidos em startups - Consecti

Fundo Indicator 2 IoT completa primeiro ano com mais de R$ 70 milhões investidos em startups - Consecti

Notícias
05 agosto 2022

Fundo Indicator 2 IoT completa primeiro ano com mais de R$ 70 milhões investidos em startups

Lançado em maio de 2021, o Fundo Indicator 2 IoT, criado pelo BNDES e Qualcomm Ventures e gerido pela Indicator Capital, completou seu primeiro ano com sete investimentos e mais de R$ 70 milhões investidos em startups focadas em Internet das Coisas e Conectividade para diversos setores de mercado. Até o momento, Monuv, CTA Smart, InfoPrice, Beegol, Rúmina, SYOS e IBBX se beneficiaram com os aportes.

De portas abertas para os empreendedores, a Indicator Capital ressalta que todos os interessados estão convidados a participar de seu processo de investimentos. O fundo, com valor captado de R$ 240 milhões, é focado em investimentos early-stage e o primeiro especializado em Internet das Coisas e Conectividade na América Latina.

“Temos um processo que reduz vieses inconscientes, relacionados a origem, raça, sexo, ou setor e tecnologia de atuação, e enaltece a oportunidades de investimento. Acima de tudo, buscamos fundadores com cabeça de sócio e atitude para transformar o Brasil para melhor por meio da Tecnologia. Setores como Agricultura, Saúde, Indústria 4.0, Cidades Inteligentes e Mobilidade serão fundamentais em nosso trabalho”, afirma Derek Bittar, cofundador da Indicator Capital.

A decisão da Indicator Capital por esse perfil de fundo se deu pela junção do momento único da transformação digital mundial com o potencial do ecossistema tecnológico no país para novos investimentos e na evolução do conceito de Internet das Coisas.

Investimentos do Fundo impulsionam a transformação digital em setores estratégicos

O futuro promete ser ainda mais promissor. A pandemia provocada pelo Covid 19 catalisou a implantação de soluções de IoT em áreas específicas e, agora, com o avanço do 5G no Brasil, elas estarão cada vez mais presentes na vida dos consumidores e nas operações de empresas e governos. O 5G não será apenas uma ferramenta para transmitir mais dados em menos tempo, mas abrirá um leque de possibilidades para IoT, na qual será necessário suportar a interação de milhões de dispositivos, e representa um universo de oportunidades para investimentos em venture capital e startups. Estima-se um impacto de bilhões de dólares na economia nacional até 2030 e um potencial de valor econômico para o período entre US$ 5,5 trilhões a US$ 12,6 trilhões em valor global, segundo o McKinsey Global Institute.

Investimentos realizados pelo Fundo Indicator 2 IoT até o momento:

§ Monuv, plataforma que transforma qualquer câmera de segurança em um dispositivo IoT inteligente, recebeu aporte de R$ 4 milhões. Presente em todos os estados do Brasil com câmeras em espaços públicos e privados, amplia o conceito de segurança individual e cria a proposta de uma segurança coletiva inteligente, contribuindo para espaços e cidades mais seguras.

§ CTA Smart, detentora de uma tecnologia de sistemas inteligentes para abastecimento de frotas com base em um modelo de SaaS (Software as a Service), entrou para o portfólio da Indicator Capital recebendo R$ 5,5 milhões. A plataforma torna acessível a gestão do combustível, evitando desperdícios e desvios, a empresas de todos os portes de diferentes segmentos, do Brasil e do mundo, o que antes só era possível às grandes companhias.

§ InfoPrice, startup de tecnologia focada em pesquisa e inteligência de preços, recebeu R$ 15 milhões e conta com o apoio da Indicator Capital para aperfeiçoar seu sistema de precificação dinâmica, torná-lo acessível aos SMBs (pequenos e médios negócios). A solução única e disruptiva de controle, monitoramento e inteligência de preços no varejo da startup fecha o ciclo em cinco grandes etapas que irão auxiliar os varejistas de ponta a ponta.

§ Beegol, a plataforma baseada em Machine Learning que utiliza Inteligência Artificial para monitorar e aprimorar a qualidade da experiência dos clientes com a Internet e os serviços das operadoras de banda larga e wi-fi recebeu R$ 11 milhões. A plataforma da Beegol é a única no mundo que enxerga a rede ‘fim a fim’, incluindo todos os componentes necessários para prover uma excelente Qualidade de Experiência (QoE) para o cliente final.

§ Rúmina, ecossistema de soluções digitais que já atende 7 mil fazendas de leite e corte no Brasil, Uruguai e Argentina, recebeu R$ 8,5 milhões. A Rúmi, inteligência artificial da Rúmina, já vem ajudando milhares de fazendas na sua gestão, detecção de doenças, tomada de crédito e rastreabilidade da produção.

§ SYOS, startup carioca que desenvolveu uma plataforma de gestão da cadeia de frios para o varejo alimentar brasileiro recebeu R$ 12 milhões. Por meio de IoT e Inteligência Artificial (IA), ela otimiza a operação dos refrigeradores, garantindo a qualidade dos produtos em uma era que o consumidor está cada vez mais preocupado com sua saúde.

§ IBBX, startup brasileira que desenvolveu uma tecnologia disruptiva, capaz de literalmente capturar a ‘energia perdida no ar’ no formato de sinais eletromagnéticos de baixa frequência, recebeu R$ 14,6 milhões (US$ 3 mi). Dessa forma, é possível conectar, utilizar e esquecer um sensor conectado, conceito inovador chamado de Plug, Play and Forget.
Com duração de 10 anos, o fundo investirá em até 30 empresas em estágio inicial (Seed e Serie A). A Indicator Capital está atenta a outras startups que apresentem crescimento rápido e trabalhem com tecnologia disruptiva e transformadora. Até o momento, a gestora já mapeou mais de 488 startups brasileiras de IoT, sendo 356 no Brasil e 132 com governança internacional, que representam mais de R$ 4,6 bilhões em oportunidades de investimento.

Fonte: TI Inside