falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Estudo constata que segurança cibernética é prioridade para latino-americanos - Consecti

Estudo constata que segurança cibernética é prioridade para latino-americanos - Consecti

Notícias
10 fevereiro 2022

Estudo constata que segurança cibernética é prioridade para latino-americanos

À medida que os consumidores entram na economia digital em número crescente, um estudo realizado pela Mastercard com a Kantar Consulting revelou que a segurança cibernética se tornou uma prioridade para eles. O estudo Digital Security Barometer da Mastercard, apresentado pela primeira vez no 10º Fórum anual de Inovação para a América Latina e o Caribe (LAC), descobriu que 87% dos consumidores na região estão cientes de ataques cibernéticos. Outros 75% relataram terem sido alvos de criminosos cibernéticos de alguma forma e 20% disseram que suas informações pessoais vazaram por meio de uma empresa.

Em menos de uma década, a segurança cibernética surgiu como uma das questões sistêmicas mais importantes para a economia global. Os ataques cibernéticos estão se tornando cada vez mais sofisticados e caros, criando um problema de US? 350 bilhões em todo o mundo e custando US? 5,2 trilhões por ano em danos de crimes cibernéticos globais. Conforme o uso de serviços digitais aumentou durante a pandemia da Covid-19, golpes, fraudes e ataques cibernéticos contra pessoas e empresas cresceram rapidamente.

A pesquisa Digital Security Barometer da Mastercard também concluiu que:

• A proteção de dados pessoais é igualmente importante: com o aumento da transformação digital, surge a preocupação de ter os dados pessoais expostos. De acordo com a pesquisa, a proteção de dados pessoais é um tema sensível na região. Os consumidores estão cientes do impacto que pode ter uma violação de segurança de suas informações pessoais. Para 92% dos consumidores, a exposição do seu número de segurança social, número de celular e resultados de exames médicos, causaria o “maior dano”. No Brasil, para 99% a privacidade de dados é uma questão muito relevante.

• Os consumidores estão se tornando mais proativos na busca por proteção: quando questionados sobre “quão seguro você acha que as empresas mantêm seus dados”, a pontuação média foi 3 em uma escala de 0 a 10, onde 0 representa “não seguro” e 10 representa “muito seguro”. Como resultado dessa percepção, 70% dos entrevistados afirmam ter adotado um identificador biométrico.

• Os consumidores estão exigindo mais clareza: Quase todo mundo já experimentou a frustração de tentar decifrar descrições de compra abreviadas ou irreconhecíveis ao verificar seus extratos de compras online com cartão. Na América Latina, 77% dos consumidores têm dificuldade para determinar a que correspondem algumas das transações que aparecem em suas contas digitais.

À medida que mais pessoas compartilham mais dados em todo o ecossistema em evolução, com um crescimento infinito de IoT e maiores conexões digitais, elas também estão se abrindo para ameaças infinitas em grande escala, e os consumidores estão conscientes disso.

“Incutir confiança em cada transação e interação é mais importante do que nunca. Não é mais suficiente para os atores individuais investirem em sistemas de segurança cibernética que oferecem proteção apenas para eles próprios. Cada participante do ecossistema de pagamentos precisa investir nas fundações e proteções corretas que criam um escudo ao redor de toda a cadeia de suprimentos”, afirma Jorge Arbesú, Vice-Presidente Sênior de Cyber e Inteligência da Mastercard. “Como uma empresa de tecnologia no mundo dos pagamentos, a confiança e a garantia são fundamentais para nós”, acrescenta.

Na LAC, a abordagem de segurança cibernética da Mastercard está focada em enfrentar os desafios da economia digital:

1.- Protegendo o ecossistema digital com Inteligência Artificial
À medida que a economia digital se expande, tanto em escala quanto em complexidade, também aumentam seus pontos de vulnerabilidade. Lançado na LAC em 2020 como parte da recém-adquirida empresa Risk Recon da Mastercard, o Cyber Secure é um conjunto de ferramentas alimentado por IA que permite que os bancos (e qualquer tipo de entidade) avaliem o risco cibernético em seu ecossistema e evitem possíveis violações. Com esses recursos, empresas e governos podem identificar e priorizar continuamente o combate às ameaças e vulnerabilidades em todo o ambiente cibernético.

2.- Com segurança ao validar a identidade de uma pessoa
A chave para construir confiança no mundo digital é a capacidade de provar sua identidade digital – quem você é, se você está interagindo pessoalmente, online ou em um aplicativo. Para expandir nossos esforços na verificação de identidade, a Mastercard adquiriu a Ekata, em 2021. A Ekata ajuda uma ampla gama de comerciantes globais, instituições financeiras, empresas de viagens, mercados e plataformas de moeda digital a identificar bons consumidores e empresas – e também maus atores – em tempo real durante a abertura de conta online, pagamentos e uma variedade de outras interações digitais. E a combinação da biometria física e comportamental analisada pela Nudata desempenha um papel cada vez mais importante para confirmar se o consumidor é de fato quem diz ser.

3.- Oferecendo Clareza e Transparência ao Consumidor
Em 2020, a Ethoca (uma empresa da Mastercard) lançou o Consumer Clarity para ajudar a reduzir disputas desnecessárias e estornos onerosos causados por confusão nas transações. O Consumer Clarity fornece informações sobre o comerciante e a compra, como nomes e logotipos fáceis de reconhecer, detalhes do local de compra e recibos digitais discriminados para titulares de cartões e instituições financeiras.

Apesar das preocupações, os consumidores não planejam abrir mão dos benefícios de um mundo cada vez mais conectado: 55% dos entrevistados concordam que é mais seguro pagar contas pela internet do que pessoalmente, com dinheiro. Os latino-americanos também continuam a se engajar em compras online em números crescentes, 68% relataram fazer pelo menos uma compra online por mês. No Brasil, 59% confia nos comerciantes online para manter seus dados pessoais seguros em seus sistemas, mas 18% tem compras online não reconhecidas.

“Quer os consumidores estejam comprando em uma loja física ou em seu computador ou celular, a Mastercard está usando as ferramentas mais avançadas para criar uma experiência de consumidor simples, segura e intuitiva. Estamos entregando ao consumidor tranquilidade para que ele interaja digitalmente com segurança, sem ter que escolher entre comodidade ou segurança “, afirma Arbesú.

A pesquisa independente foi realizada em agosto de 2021 pela Kantar TNS para a Mastercard, com a participação de 1.000 consumidores bancários em países da LAC: Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia, Costa Rica, México e República Dominicana.

Fonte: TI Inside