falecom@consecti.org.br
(61) 3702-1740

Consumidor aponta o setor bancário é o mais confiável em proteção dos dados pessoais, segundo estudo - Consecti

Consumidor aponta o setor bancário é o mais confiável em proteção dos dados pessoais, segundo estudo - Consecti

Notícias
08 fevereiro 2024

Consumidor aponta o setor bancário é o mais confiável em proteção dos dados pessoais, segundo estudo

A Thales anunciou nesta quarta-feira, 07, as descobertas do estudo Thales Digital Trust Index de 2024, levantamento que revela que o setor bancário é o mais confiável no que diz respeito à proteção dos dados pessoais e ao fornecimento de experiências digitais confiáveis. A Thales pesquisou 12.426 consumidores em todo o mundo sobre seus relacionamentos com marcas e serviços online, quais as expectativas de privacidade exigidas por eles e como as marcas podem conquistar sua confiança.

Comentando sobre as descobertas, Danny de Vreeze, vice-presidente de identidade e gerenciamento de acesso da Thales, afirmou : “Os clientes depositam mais confiança nos setores bancário, de saúde e de serviços governamentais no que diz respeito ao compartilhamento dos seus dados pessoais. Essa é uma tendência universal, observada em todos os mercados pesquisados. Talvez não seja surpreendente, visto o quanto esses setores são altamente regulados, os tipos de informações pelas quais são responsáveis e as medidas que aplicaram para manter os dados dos consumidores em segurança”.

O executivo acrescenta: “Embora as empresas estejam sujeitas a leis de privacidade de dados internacionais independentemente do setor, aquelas nas últimas posições do ranking foram sujeitas diretamente a menos diretrizes relacionadas à segurança e privacidade dos dados. À medida que mais empresas ampliam sua presença digital, os setores não regulados também têm lições a aprender à medida que as preferências do consumidor evoluem.”

Subindo no Digital Trust Index

A pesquisa demonstrou que a grande maioria dos consumidores (89%) está disposta a compartilhar seus dados com as organizações, mas com algumas ressalvas inegociáveis.

Mais de quatro em cada cinco entrevistados (87%) esperam algum tipo de direitos de privacidade das empresas com as quais interagem online. A maior expectativa é o direito de ser informado que seus dados pessoais estão sendo coletados (55%), o que é seguido de perto pelo direito de ter seus dados pessoais excluídos (53%). Outros direitos de privacidade identificados no relatório incluem:

• 39% esperam ter o direito de corrigir seus dados pessoais
• 33% esperam ter o direito de exigir uma cópia dos seus dados pessoais
• 26% esperam ter o direito de transferir seus dados de uma plataforma para a outra

As descobertas reforçam que o direito à privacidade e segurança é inegociável. Mais de um quarto dos consumidores (29%) chegaram ao extremo de abandonar uma marca nos últimos 12 meses pelo excesso de informações pessoais exigidas. Mais de um quarto (26%) também abandonou uma marca ou serviço por conta de preocupações com a maneira como seus dados pessoais estavam sendo usados.

Segurança e experiência são iguais a confiança

Além das exigências de privacidade, a pesquisa da Thales destaca que as organizações também devem oferecer uma experiência online perfeita para conquistar a confiança dos clientes.

Pop-ups de publicidade foram destacados como a principal fonte de frustração (71%), seguidos de perto por redefinições de senhas (64%) e ter que inserir novamente informações pessoais (64%). Opções de cookies complexas também foram consideradas uma das principiais frustrações por 59% dos entrevistados.

Além disso, a pesquisa revelou que os consumidores atuais estão cada vez mais conscientes de seu tempo, com mais de um quinto (22%) afirmando que desistiria de uma interação online em um minuto se estivesse tendo uma experiência frustrante.

Fonte: TI Inside