falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Computador quântico em escala apenas no final da década - Consecti

Notícias
11 agosto 2022

Computador quântico em escala apenas no final da década

A computação quântica deve se tornar realidade somente no final de década, ou nos próximos oito anos. Neste momento, estão mais avançados os estudos em relação aos algoritmos e à descoberta de aplicações que podem fazer uso deles de forma híbrida.

A professora doutora do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), Bárbara Lopes Amaral, explica que todos os dispositivos utilizados hoje têm muita física quântica, mas ainda não se trata de computação quântica, porque a informação ainda é armazenada em bits. Quando a computação quântica estiver operando de fato, ela afirma que será possível fazer coisas diferentes ou, ainda, resolver problemas diferentes.

No setor financeiro, isso incluiria, por exemplo, cálculo de riscos no setor financeiro. O especialista em TI do Banco do Brasil, Igor Regis da Silva Simões, diz que se trata de cálculos complexos que consomem um custo computacional elevado em computadores clássicos. “Com certeza é uma área a ser explorada por computadores quânticos, mas nosso desafio é desenvolver novos algoritmos para esses problemas”, diz.

Para Simões, quando houver computadores quânticos em escala, os clientes dos bancos vão se beneficiar de produtos melhores e mais eficientes, incluindo a modelagem de produtos com um nível de personalização impossível nos dias de hoje. Outra frente seria o treinamento de redes neurais, o que se faz hoje com o uso de placas de vídeos com diversos núcleos de processamento. “Algumas dessas redes levam meses de consumo de processamento para isso. Algoritmos desenvolvidos para essa nova classe vão entregar produtos e soluções financeiras que vão aprender mais rápido”, prevê.

O diretor do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LN Nano), Rodrigo Barbosa Capaz, ressalta que o computador quântico não será, no entanto, a solução para problemas em todas as áreas. Ao contrário, ele deverá ser usado em áreas específicas, como criptografia e fatorização de números inteiros, que são atividades complexas para computadores clássicos.

Waldemir Cambiucci, diretor do Microsoft Technology Center, lembra que o mercado vem falando em computação quântica há 40 anos, o que resultou na construção de um novo modelo computacional, com novos algoritmos que aproveitam os aspectos de uma física diferente. De todo modo, ele destaca que, por enquanto, toda solução fim a fim envolvendo computação quântica é hibrida.

“Hoje há várias tecnologias correndo atrás do desenvolvimento de um hardware minimamente viável. Quando teremos isso é a grande pergunta. A expectativa é que dentro dessa década teremos o computador quântico de fato. Temos uma média de 4 mil artigos científicos publicados por ano sobre o tema, o que mostra o quanto se está pesquisando”, prevê.

Fonte: Convergência Digital