falecom@consecti.org.br
(61) 3142-0555

China esquenta disputa global de chips com pacote de R$ 760 bilhões - Consecti

China esquenta disputa global de chips com pacote de R$ 760 bilhões - Consecti

Notícias
14 dezembro 2022

China esquenta disputa global de chips com pacote de R$ 760 bilhões

A China está trabalhando em um pacote de suporte de mais de 1 trilhão de yuans (R$ 760 bilhões) para sua indústria de semicondutores, disseram três fontes à agência Reuters, em um grande passo em direção à autossuficiência em chips e para conter as medidas dos EUA destinadas a desacelerar seus avanços tecnológicos.

Pequim planeja lançar o que será um de seus maiores pacotes de incentivos fiscais em cinco anos, principalmente como subsídios e créditos fiscais para reforçar a produção de semicondutores e atividades de pesquisa em casa, disseram as fontes.

Isso sinaliza, como os analistas esperavam, uma abordagem mais direta da China em moldar o futuro de uma indústria, que se tornou um botão geopolítico quente devido à crescente demanda por chips e que Pequim considera um pilar de seu poderio tecnológico.

O plano pode ser implementado já no primeiro trimestre do próximo ano, disseram duas das fontes que não quiseram ser identificadas por não estarem autorizadas a falar com a mídia.

A maior parte da assistência financeira seria usada para subsidiar a compra de equipamentos domésticos de semicondutores por empresas chinesas, principalmente fábricas de semicondutores, ou fábricas, disseram eles.
Essas empresas teriam direito a um subsídio de 20% sobre o custo das compras, disseram as três fontes.
O plano de apoio fiscal ocorre depois que o Departamento de Comércio dos EUA aprovou em outubro um amplo conjunto de regulamentos, que podem impedir o acesso de laboratórios de pesquisa e centros de dados comerciais a chips avançados de IA, entre outras restrições.
Os Estados Unidos também têm feito lobby com alguns de seus parceiros, incluindo Japão e Holanda, para restringir as exportações para a China de equipamentos usados ​​na fabricação de semicondutores. consulte Mais informação
E o presidente dos EUA, Joe Biden, assinou em agosto um projeto de lei histórico para fornecer US$ 52,7 bilhões em subsídios para a produção e pesquisa de semicondutores nos EUA, bem como crédito fiscal para fábricas de chips estimadas em US$ 24 bilhões.
Com o pacote de incentivos, Pequim pretende intensificar o apoio às empresas chinesas de chips para construir, expandir ou modernizar instalações domésticas para fabricação, montagem, embalagem e pesquisa e desenvolvimento, disseram as fontes.
O último plano de Pequim também inclui políticas fiscais preferenciais para a indústria de semicondutores do país, disseram eles.
Os beneficiários serão empresas estatais e privadas do setor, principalmente grandes empresas de equipamentos de semicondutores como NAURA Technology Group, Advanced Micro-Fabrication Equipment Inc China e Kingsemi, as fontes adicionadas.
Algumas ações de chips chineses em Hong Kong subiram acentuadamente após a notícia do pacote. Semiconductor Manufacturing International Corp (SMIC) adicionou mais de 8%, enviando seu ganho diário para quase 10%. Hua Hong Semiconductor Ltd fechou em alta de 17%, enquanto os mercados do continente estavam fechados quando o relatório foi publicado.
Alcançar a autossuficiência em tecnologia foi destaque no relatório de trabalho completo do presidente Xi Jinping no Congresso do Partido Comunista em outubro. O termo ‘tecnologia’ foi referido 40 vezes, contra 17 vezes no relatório do congresso de 2017.
O apelo de Xi para que a China “vença a batalha” em tecnologias essenciais pode sinalizar uma revisão na abordagem de Pequim para o avanço de sua indústria de tecnologia, com mais gastos e intervenções estatais para conter as pressões dos EUA, disseram analistas. consulte Mais informação
As sanções dos EUA publicadas em outubro fizeram com que grandes empresas de equipamentos de fabricação de chips com sede no exterior parassem de fornecer aos principais fabricantes de chips chineses, incluindo Yangtze memory Technologies Co (YMTC) e SMIC, e fabricantes de chips avançados de inteligência artificial parassem de fornecer empresas e laboratórios.
A segunda maior economia do mundo lançou uma disputa comercial na Organização Mundial do Comércio contra os Estados Unidos por causa de suas medidas de controle de exportação de chips, disse o Ministério do Comércio da China nesta segunda-feira. consulte Mais informação
A China há muito está atrás do resto do mundo no setor de equipamentos de fabricação de chips, que continua sendo dominado por empresas sediadas nos Estados Unidos, Japão e Holanda.
Várias empresas domésticas surgiram nos últimos vinte anos, mas a maioria permanece atrás de seus rivais em termos de capacidade de produzir chips avançados.
Os equipamentos de gravação e processo térmico da NAURA, por exemplo, só podem produzir chips de 28 nanômetros ou mais, tecnologias relativamente maduras.
A Shanghai Micro Electronics Equipment Group Co. Ltd (SMEE), a única empresa de litografia da China, pode produzir chips de 90 nanômetros, bem atrás da holandesa ASML, que está produzindo chips de até 3 nanômetros.
Fonte: Convergência Digital