falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Brasil é o país da AL que mais sofre ataques cibernéticos - Consecti

Notícias
24 fevereiro 2022

Brasil é o país da AL que mais sofre ataques cibernéticos

A IBM Security divulgou o X-Force Threat Intelligence Index, seu estudo anual sobre ameaças de cibersegurança. Só a América Latina experimentou um aumento de 4% nos ciberataques em 2021 em comparação com o ano anterior, sendo Brasil, México e Peru foram os países mais atacados da região em 2021.

Embora o phishing tenha sido a causa mais comum de ciberataques em geral na região no ano passado, o IBM Security X-Force observou um aumento nos ataques causados por credenciais roubadas, um ponto de entrada no qual os atores confiaram mais para realizar invasões em 2021, representando a causa de 27% dos ciberataques no Brasil. 

Alguns dos principais destaques no relatório deste ano incluem: 

  • O Brasil, a manufatura foi o setor mais atacado em 2021, com 20% dos ataques, refletindo uma tendência global. Segundo a IBM, os cibercriminosos se aproveitam da dependência da cadeia de suprimentos globais para pressionar as vítimas a pagar um resgate. 
  • Os setores de Mineração (17%), de serviços profissionais, energia e varejo recebem 15% dos ataques, seguindo a manufatura como os setores mais atacados no Brasil. 
  • O ransomware persistiu como o principal método de ataque observado em 2021, tanto globalmente quanto na América Latina, e foi responsável por 32% dos ataques no Brasil. 
  • A taxa de ataques de BEC (Business E-mail Compromise) contra a América Latina é maior do que em qualquer outra parte do mundo, representando um aumento acentuado de 26% em dois anos no Brasil. De acordo com o relatório, o BEC foi o segundo ataque mais comum na região.  
  • O phishing foi a causa mais comum de ciberataques em 2021 em todo o mundo e foi responsável por 60% dos ataques remediados pela X-Force no Brasil. 

O relatório apresenta dados que a IBM coletou globalmente em 2021 para fornecer informações sobre o cenário global de ameaças e informar os profissionais de segurança sobre as ameaças mais relevantes para suas organizações. Para fins do relatório, a IBM considera que a América Latina inclui o México, a América Central e a América do Sul. 

Fonte: TI Inside