falecom@consecti.org.br
(11) 3718-6515 (61) 97400-2446

Programa Centelha RS destaca a vocação empreendedora dos gaúchos - Consecti

Programa Centelha RS destaca a vocação empreendedora dos gaúchos - Consecti

Giro nos estados
24 novembro 2021

Programa Centelha RS destaca a vocação empreendedora dos gaúchos

A segunda edição do Programa Centelha RS encerrou suas inscrições, nesta segunda-feira (22), fechando a primeira fase do programa, com 435 ideias submetidas, de origem de 77 municípios do estado e 1354 participantes cadastrados.

O Programa Centelha RS é uma iniciativa nacional, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação CERTI. No Rio Grande do Sul o programa é executado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS), vinculada à Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia – SICT, em parceira com Sebrae RS, Badesul e Reginp (Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação).

O objetivo do programa é incentivar o empreendedorismo inovador, buscando transformar ideias de estudantes, pesquisadores, professores, empreendedores, em negócios de base tecnológica, oferecendo recursos de subvenção econômica, não reembolsáveis. Nesta segunda edição do programa serão destinados à concessão de subvenção econômica à inovação, recursos no valor global de R$ 3,3 milhões. Serão apoiadas ideias inovadoras até o limite de R$ 66 mil e bolsas de Fomento Tecnológico e Extensão Inovadora do CNPq, no valor máximo de R$ 26 mil, por projeto.

A divulgação do Centelha RS atingiu as sete mesorregiões do RS, definidas pelo IBGE. A região Metropolitana de Porto Alegre teve o maior número de submissão de ideias inovadoras com 214 ideias, seguida do Noroeste Rio-Grandense com 68 ideias.

 

Ideias Submetidas

Das 18 linhas temáticas de inserção dos projetos, as que mais receberam inscrições foram: Tecnologia Social com 18,9%; Tecnologia da Informação e Telecomunicação com 13,3%: Biotecnologia e Genética com 10,6%. As seguintes linhas temáticas empataram com 9,2%: Inteligência Artificial e Machine Learning; Química e Novos Materiais e Manufatura Avançada e Robótica.

Dos 35 setores de aplicação das ideias submetidas os que receberam o maior número de inscrições foram: Agronegócio com 120 ideias; Meio Ambiente e Bioeconomia com 114; Saúde e Bem Estar com 109 e Tecnologia da Informação e Telecomunicações com 81 ideias.

O Programa Centelha RS teve a participação de proponentes de ideias que declararam suas instituições de vínculo, sendo 30,8% em Institutos de Ciência e Tecnologia – ICTs ; 39,8 com vínculos diversos; 15,2% com Incubadoras e 10,6% com empresas.

A formação dos proponentes com ideias submetidas é de 57,9% com pós-graduação; 35,4% de ensino superior e 6% de ensino médio ou técnico.

O Programa Centelha contribuirá para o estabelecimento da ponte entre academia e indústria no RS, já que muitas das ideias vêm de pessoas ainda na universidade, tanto de cursos de graduação como de pós-graduação. Além disso, o Centelha abre espaço para participação de todos os cidadãos do estado, tanto para inscrever suas ideias como para interagir com os empreendedores, e consolida uma forte rede de apoio ao empreendedorismo inovador.

Próximos Passos

O Programa Centelha tem Fase 1, 2 e 3. A primeira fase é a seleção das propostas submetidas.

Na segunda fase, os selecionados deverão elaborar seu Projeto de Empreendimento, detalhando o plano de negócio executivo com o objetivo de demonstrar as chances de a ideia proposta gerar um bom negócio.

Na terceira fase, os selecionados, deverão desenvolver o Projeto de Fomento, com apresentação detalhada do orçamento e do planejamento de execução do projeto.

Durante todas as etapas são oferecidas capacitações para auxiliar o empreendedor a aprimorar sua ideia e desenvolver seu negócio.

Fonte: FAPERGS