falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Novos laboratórios da Unifor permitem a ampliação das pesquisas no Ceará - Consecti

Novos laboratórios da Unifor permitem a ampliação das pesquisas no Ceará - Consecti

Giro nos estados
31 janeiro 2022

Novos laboratórios da Unifor permitem a ampliação das pesquisas no Ceará

A Universidade de Fortaleza- Unifor inaugurou na manhã desta quinta-feira (27/01), os novos laboratórios NB3 e NBA3 que fazem parte do Polo de Pesquisa da Fundação Edson Queiroz. Eles possuem nível de biossegurança máximo e que irão permitir a ampliação de importantes pesquisas no Ceará.

O secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Carlos Décimo, participou do evento que contou com as presenças da reitora da Unifor, Fátima Veras, do vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista, do Presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Tarcísio Pequeno, e da vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Ceará, Inês Tavares Vale e Melo, e da coordenadora de Educação profissional da Secitece, Katiane Queiroz. Eles conheceram os equipamentos que vão ampliar as possibilidades de pesquisa com agentes de alto risco biológico no Ceará, como o novo coronavírus.

Durante sua fala o secretário da Secitece, Carlos Décimo, destacou a excelência do novo laboratório. “Estou impressionado com a alta qualidade dos equipamentos, que vai gerar pesquisas de alto nível, principalmente no combate e prevenção do coronavírus. Aqui, hoje, nós estamos associando a ciência, a pesquisa e a inovação com a vida. Esse laboratório vai salvar vidas! Vidas do nosso povo cearense e do povo brasileiro”. E completou: “É um laboratório de alta qualidade. Aqui estão os pesquisadores cearenses da nossa academia, do nosso complexo de ecossistema de CT&I, formado por todas as nossas universidades” .

Carlos Décimo se colou a disposição dos pesquisadores, através da Fundação Amparo a Ciência do Ceará, órgão vinculado a Secitece, que oferece bolsas para os cientistas. “A Unifor cumpre o seu papel institucional da ciência, da pesquisa e da extensão. É uma universidade que acolhe os estudantes, os professores. Aqui tem arte, tem ciência, tem tecnologia. Mas acima de tudo é um centro que forma cidadãos”, ressaltou.

Ao recepcionar os gestores públicos, a reitora da Universidade de Fortaleza, Fátima Veras, disse que esse “é um grande passo” para a pesquisa no Ceará, conquistado graças ao apoio da Fundação Edson Queiroz. A visita contou ainda com a participação dos vice-reitores de Pesquisa, Milton Sousa, e de Ensino de Graduação e Pós-Graduação, Maria Clara Bugarim, assim como das diretoras do Nubex, professora Cristina Moreira, e de Comunicação e Marketing da Unifor, Ana Quezado.

O presidente da Funcap, Tarcísio Pequeno, destacou que a Unifor tem sido uma importante parceira para a área de Ciência e Tecnologia no Ceará. “Estamos felizes em constatar a contribuição da Unifor para o estado nesse período de pandemia, com o desenvolvimento de várias pesquisas e projetos extraordinários e emergenciais no combate à Covid-19”, disse o professor. A Funcap estimula o desenvolvimento científico e tecnológico no Estado do Ceará, por meio do incentivo e fomento à pesquisa, à formação e capacitação de recursos humanos, ao fomento e desenvolvimento da tecnologia e à difusão dos conhecimentos científicos e técnicos.

Inovação que impacta

O vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista, disse que contar com um novo centro de pesquisa é fundamental para a produção de conhecimento no Ceará, já que nele podem ser desenvolvidas novas tecnologias e produtos capazes de causar impacto em âmbito nacional e internacional. “O Brasil precisa investir mais em ciência, tecnologia, pesquisa e inovação. Entendo que um investimento como esse, a construção de um grande centro de pesquisa em Fortaleza, converge justamente para esse grande objetivo que é disputar com outros países do mundo o espaço internacional na área de ciência e inovação”, destacou o vice-prefeito que conheceu o biomódulo que abriga os laboratórios NB3 e NBA3.

Os laboratórios de nível de biossegurança 3 – NB3 e NBA3 – garantem à Universidade de Fortaleza um grande diferencial no ensino de graduação e pós-graduação. Os laboratórios instalados na Unifor possibilitam ainda que pesquisadores desenvolvam estudos com agentes de risco nível 3, ou seja, microrganismos de baixo risco para a comunidade, mas de alto risco individual.

Segundo a diretora do Nubex, professora Cristina Moreira, as pesquisas a serem desenvolvidas no local são estratégicas para o Estado, para o Brasil e, consequentemente, para a sociedade. “Inicialmente, vamos trabalhar no enfrentamento da Covid-19, tanto para entender melhor o novo coronavírus como também para descobrir fármacos que possam ser utilizados no tratamento”, diz a professora.

Entenda como funciona o laboratório

O Ceará conta hoje com poucas unidades de NB3: um na Unifor, dois na Universidade Federal do Ceará, um no Laboratório Central (Lacen) do Governo do Estado. Há ainda um em fase de elaboração de projeto na Universidade Estadual do Ceará (Uece). Já do tipo NBA3, que permite o manejo de animais, o laboratório da Unifor é o primeiro do Estado.

A estrutura dos laboratórios NB3/NBA3 atende às recomendações do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea), no que diz respeito ao bem-estar animal, bem como todas as diretrizes da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNbio), no que diz respeito à biossegurança. Ele foi projetado com a mais alta tecnologia de automação para controle e monitoramento, dando total segurança aos usuários, à comunidade e ao ambiente externo.

Fonte: SECITEC com informações da UNIFOR