falecom@consecti.org.br
(61) 97400-2446

Inaugurada sede do Centro de Empreendedorismo da UFS em Sergipe - Consecti

Giro nos estados
01 junho 2022

Inaugurada sede do Centro de Empreendedorismo da UFS em Sergipe

Foi inaugurada nesta segunda-feira, 30, a sede do Centro de Empreendedorismo da Universidade Federal de Sergipe, que passa a funcionar na “ilha comercial” localizada entre os prédios administrativos do Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH), em frente à Praça da Democracia, no Campus de São Cristóvão.

A entrega das novas instalações faz parte da programação das festividades pelos 54 anos da UFS. A programação iniciou com um horário de visitas à nova sede, entre as 9h e 10h. Em seguida, aconteceu a abertura no hall de entrada do Núcleo de Petróleo e Gás (Nupeg). Outros eventos preencheram o dia de atividades em comemoração à nova sede.

 

Nova sede está localizada em frente à Praça da Democracia, no Campus de São Cristóvão. (Fotos: Schirlene Reis - Ascom UFS)
Nova sede está localizada em frente à Praça da Democracia, no Campus de São Cristóvão. (Fotos: Schirlene Reis – Ascom UFS)

O Centro de Empreendedorismo é responsável pelo incentivo, formação e desenvolvimento de competências empreendedoras, de criatividade e de inovação entre discentes, docentes e servidores técnicos-administrativos na universidade, assim como pela articulação das ações dos programas e projetos institucionais que objetivem a instalação, difusão e o desenvolvimento de uma cultura e de um ecossistema empreendedor na UFS.

“O Centro de Empreendedorismo nasce de um projeto de extensão, que seria um programa para a educação empreendedora na UFS, submetido a um edital do Sebrae. A partir daí, tudo passa a acontecer dentro da universidade, a gente chega a Centro de Empreendedorismo desde dezembro de 2018”, recorda Augusto Cesar Vieira dos Santos, coordenador do Centro.

“Nós começamos com três alunos voluntários, que logo depois se tornaram bolsistas, e hoje nós temos uma média de 40 alunos por semestre trabalhando dentro do Centro de Empreendedorismo”, enfatiza.

Cursando Letras Vernáculas, Carolaine Pereira Matos é uma das estudantes que atuam hoje no Centro. Para ela, a pluralidade contribui para o fortalecimento das iniciativas do programa.

“Nesse pouco tempo em que colaboro com o Centro, posso defini-lo como um ‘sincretismo’ da universidade, na concepção original da palavra, de buscar unidade na diversidade: somos diversos alunos, dos mais diversos cursos, e [atuamos] através de um trabalho colaborativo e de uma educação que alia teoria e prática”, define a discente, que integra o grupo de comunicação do Centro.

 

“Começamos com três alunos voluntários, e hoje temos uma média de 40 alunos por semestre trabalhando dentro do Centro de Empreendedorismo”, diz Augusto Cesar Vieira dos Santos, coordenador.
“Começamos com três alunos voluntários, e hoje temos uma média de 40 alunos por semestre trabalhando dentro do Centro de Empreendedorismo”, diz Augusto Cesar Vieira dos Santos, coordenador.

Educação empreendedora

Carolaine destaca a contribuição do empreendedorismo para a formação acadêmica. “Nós fomentamos a educação empreendedora na universidade, e esse trabalho tem sido muito benéfico para nós, para toda a equipe. É algo que vai para além do negócio, é o humano, que valoriza muito a nossa transformação enquanto indivíduos”, diz.

O reitor da UFS, Valter Santana, endossa a percepção de Carolaine.

“Quando olhamos para uma universidade pública, que prima por uma educação de qualidade, devemos também nos perguntar que tipo de profissionais o mercado tem que receber e a gente deve entregar. Hoje, para que a gente promova efetivamente uma educação transformadora, que transforme a vida dos nossos alunos e que mude o panorama da sociedade que nos circunda, temos que pensar não somente nas habilidades necessárias para que cada um desenvolva seu trabalho e olhando para sua profissão, mas também em outras habilidades que vão auxiliar no desenvolvimento da pessoa”, pontua.

“O empreendedorismo não é só nessa vertente de negócios”, diz Sueli Pereira, pró-reitora de extensão. “É o empreendedorismo social, que a gente tem visto que ele não é só focado no negócio, mas sim a preocupação com o indivíduo, conseguimos perceber isso e temos desenvolvido esses trabalhos juntamente com a comunidade”, completa.

Para o superintendente do Sebrae em Sergipe, Paulo do Eirado, a aproximação entre os caráteres de negócio e social no empreendedorismo passam por sua relação com a educação.

“Que [o empreendedorismo] comece com essa imagem de extensão, mas que vá se aproximando cada vez mais do ensino. Por quê? Porque quando falamos de empreendedorismo na educação, estamos falando de comportamento, estamos falando de atitudes”, defende.

“Então isso pode ter caminho em direção ao social, ao empresarial, mas mesmo que seja para quem quiser seguir uma carreira acadêmica, é importante ser empreendedor, porque você vai ter desafios em que serão necessários superação, enfrentamento, objetividade, visão de longo prazo, e tudo isso é exercitado através da educação empreendedora”, afirma o diretor.

 

Valter Santana, reitor da UFS: “Para que a gente promova efetivamente uma educação transformadora, temos que pensar não somente nas habilidades necessárias para que cada um desenvolva seu trabalho, mas também em outras habilidades que vão auxiliar no desenvolvimento da pessoa”.
Valter Santana, reitor da UFS: “Para que a gente promova efetivamente uma educação transformadora, temos que pensar não somente nas habilidades necessárias para que cada um desenvolva seu trabalho, mas também em outras habilidades que vão auxiliar no desenvolvimento da pessoa”.

Além do Sebrae, outra instituição parceira do Centro que prestigiou o evento foi o Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), representado por Thales Carvalho.

“Nós do SergipeTec fazemos parte desse movimento de educação empreendedora, todos os nossos projetos hoje são direcionados a partir dessa linha. Então, antes de falar em startups ou de tecnologia, a gente fala sobre educação”, conta Thales.

Segundo Valter Santana, a inauguração da sede do Centro de Empreendedorismo é apenas um passo no projeto de incorporar o empreendedorismo no cotidiano da UFS.

“Fizemos questão de colocar dentro do processo de construção da universidade, que é o nosso PDI [Plano de Desenvolvimento Institucional, que apresenta os objetivos da instituição para o quinquênio 2021-2025], o fortalecimento do empreendedorismo, não somente para a graduação, mas também olhando e valorizando as pessoas que fazem a Universidade Federal de Sergipe, [através de] capacitação para os nossos docentes e técnicos-administrativos, para que sejam também multiplicadores dessa ação, cada um em suas área”, arremata o reitor.

Fonte: UFS (adaptada)