falecom@consecti.org.br
(11) 3718-6515 (61) 97400-2446

Expansão do ensino superior no interior do Ceará se fortalece com novas obras - Consecti

Expansão do ensino superior no interior do Ceará se fortalece com novas obras - Consecti

Giro nos estados
17 dezembro 2021

Expansão do ensino superior no interior do Ceará se fortalece com novas obras

O Governo do Ceará, por meio da Superintendência de Obras Públicas (SOP), trabalha na implantação de novos campi de Uece, UVA e Urca

Uma das marcas da atual gestão cearense para o ensino superior é a interiorização. O Governo do Ceará atua nos processos de implantação de dois novos campi da Universidade Estadual do Ceará (Uece), um da Universidade do Vale do Acaraú (UVA) e um da Universidade Regional do Cariri (Urca), com grande investimento em construção e reforma de prédios.

“A expansão do ensino superior no interior do Estado se materializa com a criação de novos campi das nossas três universidades estaduais (Uece, Urca e UVA), espalhados em várias regiões cearenses, possibilitando uma educação de qualidade e promovendo o desenvolvimento econômico e social, com mais empregos qualificados”, ressaltou o secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), Inácio Arruda.

Depois da entrega do campus da Ibiapaba da UVA, em São Benedito, um dos próximos municípios a receber uma unidade de universidade estadual é Quixeramobim, com a Uece. O novo equipamento da Uece no Sertão Central vai ampliar as oportunidades de acesso dos jovens do interior à rede pública estadual de ensino superior. A obra ficará sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Públicas (SOP) e está com a abertura do certame licitatório para a construção marcado para o próximo dia 14, na Comissão Central de Concorrência da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

“Em 2022, vamos iniciar a construção do novo Campus de Quixeramobim com toda a estrutura necessária para atender a população do Sertão Central. Os benefícios já começam durante a obra por conta da geração de empregos. Mas depois de concluído, o novo Campus Universitário da Uece vai contribuir para a formação acadêmica e pesquisa que são importantes para desenvolvimento tecnológico e econômico da região onde está inserido”, relata o superintendente adjunto de edificações, Celso Lelis.

O novo campus da Uece vai ofertar inicialmente dois cursos presenciais na área da saúde: Medicina e Enfermagem. Atualmente, a Universidade dispõe de nove cursos de graduação EAD em Quixeramobim: Administração Pública, Artes Visuais, Ciências Biológicas, Computação, Educação Física, Geografia, História, Pedagogia e Química.

O terreno destinado ao empreendimento tem área de 60 mil m² e está localizado na rodovia CE-060. Depois de concluído, o complexo terá aproximadamente 29 mil m² de área edificada. O projeto inclui bloco de salas de aula, bloco de laboratórios, biblioteca, auditório, ginásio, espaço de convivência, administração, sala da coordenação e sala dos professores.

A Uece atualmente tem dois projetos de expansão de novos campi, um em Canindé e outro em Quixeramobim. Em Canindé, as atividades devem ter início em março de 2022, em um prédio cedido pela prefeitura até que a estrutura do novo campus seja construída. Nesta unidade serão ofertados inicialmente dois cursos de graduação: Administração e licenciatura em Pedagogia.

Segundo a pró-reitora de Graduação da Uece, Maria José Camelo Maciel, os vários investimentos feitos em saúde, entre eles, o Hospital Universitário do Ceará, e o projeto de expansão da rede hospitalar para o interior do Estado, colocam em destaque a importância da ciência e do ensino superior como pilares fundamentais de sustentação de tais empreendimentos e para a sustentação das políticas públicas sociais. Nessa direção, a transformação do Hospital Regional do Sertão Central (HRSC) em Hospital Universitário, tendo a Uece como instituição de formação profissional e de desenvolvimento do conhecimento científico e tecnológico, constitui uma iniciativa de ampliação e de sustentabilidade dos investimentos realizados na região do Sertão Central.

“A Faculdade de Ciências da Saúde de Quixeramobim será implantada dentro de um conceito de sustentabilidade e desenvolvimento, impulsionando a cadeia produtiva da área de saúde na região. Então, todos esses aspectos fazem com que o projeto de implantação da unidade da Uece de Quixeramobim seja realmente uma iniciativa muito promissora”, afirma a pró-reitora de graduação da Uece, Maria José Camelo Maciel.

Os novos cursos

A implantação de novos campi no interior favorece a disseminação da formação superior, tornando as macrorregiões mais independentes da capital por produzirem boa parte da mão de obra especializada que é necessária para o seu desenvolvimento econômico.

A previsão é que os cursos sejam escolhidos de acordo com a vocação econômica de cada região. Na Urca, além de Medicina e Turismo, que já constaram no último vestibular da instituição, deve ser implantado inicialmente o curso de Arquitetura.

No Campus da Uece, em Canindé, estão previstos os cursos de Administração e Pedagogia. Em Quixeramobim, após a implantação dos cursos de Medicina e Enfermagem, a expectativa é que no futuro sejam implantados outros cursos de bacharelado. Com o campus da UVA implantado em São Benedito com bacharelado em Administração e licenciatura em Pedagogia, o outro campus, em Camocim, terá cursos definidos de acordo com a demanda produtiva do polo.

Uece

A Universidade Estadual do Ceará tem hoje 13 campi. São três em Fortaleza: Itaperi, Fátima e 25 de Março, que inclusive está sendo reformado e ampliado. Outros dez estão no Interior: Limoeiro do Norte, Quixadá, dois em Iguatu, Crateús, Itapipoca, Tauá, Pacoti, Guaiúba e Mombaça. Os cursos do interior são, em maioria, licenciaturas. Os bacharelados, hoje concentrados em Fortaleza, terão a oferta ampliada no Interior dentro do projeto de expansão da Universidade.

Os 84 cursos presenciais são divididos entre licenciaturas e bacharelados, os quais são distribuídos entre os turnos manhã, tarde e noite. A Uece também conta com 12 cursos na modalidade EAD, ofertados em 31 polos espalhados por todo o Estado.

Fonte: SECITECE CE