Notícias

Visita aprofunda relações entre governos Federal e Estadual

Uma comitiva do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI) visitou a Secretaria de Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Sectec), na manhã nesta sexta-feira, 24 de agosto, com o objetivo de aproximar gestores estaduais e federais e conjugar esforços para o desenvolvimento da Ciência e Tecnologia no Estado. Encabeçada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, e pelo secretário Executivo do MCTI, Luis Antonio Elias, a comitiva foi recebida pelo secretário Marcelino Granja. Pela manhã, o ministro já havia lançado o Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação, o TI Maior, com a assinatura de acoordo de cooperação com  governador Eduardo Campos.

Na ocasião, o grupo do MCTI se reuniu com o secretário, os diretores dos órgãos vinculados a Sectec, o secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Recife, José Bertotti, e com o reitor da UFPE, Anísio Brasileiro.

O secretário abriu a reunião destacando as prioridades da Sectec para os últimos dois anos do Governo Eduardo Campos. Ele informou que a Secretaria irá concentrar esforços em quatro habitats de inovação do Estado. São eles a Tecnologia da Informação, por meio do Porto Digital, a área de eletroeletrônica, com investimentos no ParqTel, a área de fármacos e biotecnologia e a metal-mecânica. Também irá trabalhar para o fortalecimento da UPE e continuar investindo pesado em pesquisa e desenvolvimento, por meio da Facepe.

“Queremos atingir um patamar de consolidação da ciência e tecnologia e deixar um importante legado para o nosso Estado. Vamos focar nossas ações e precisamos continuar obtendo a importante contribuição do MCTI”, destacou Marcelino Granja.

O ministro Marco Antonio Raupp destacou que o MCTI estará sempre aberto aos projetos do Governo do Estado. “Nosso objetivo é o de aproximar os atores dos dois governos e aprofundar as relações. Esse é o nosso lema”, observou.

O secretário de Políticas de Informática, Virgílio Almeida, destacou que o Governo Federal irá criar uma lei para zerar os impostos das empresas produtoras de semicondutores com o objetivo de atraí-las e desenvolve-las no Brasil. “Para isso precisamos do trabalho das universidades no sentido de formarem mão de obra qualificada”, destacou, recebendo o apoio dos reitores da UFPE e da UPE, Carlos Calado.

Virgílio destacou ainda que Pernambuco será o primeiro estado a ganhar o data center para suporte de experimentos em computação em nuvem. O equipamento, que está sendo construído em Hong Kong, irá ligar todos os pesquisadores e desenvolvedores do Brasil em uma rede.

O secretário de políticas de desenvolvimento de pesquisa do MCTI, Carlos Nobre, destacou que o Ministério irá colocar no mar um navio de pesquisas oceânicas que será o primeiro centro de estudos avançados do atlântico tropical. Segundo ele, Fernando de Noronha será um importante ponto de observação. Por isso, precisará firmar uma nova parceria com o Governo do Estado.

O presidente da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe), Diogo Simões, fez um rápido histórico da Fundação, destacando o aumento de aporte de recursos do tesouro estadual de cerca de R$ 5 milhões, em 2007, para os R$ 40 milhões atuais. Na ocasião, Diogo solicitou do ministro que fosse criado um mecanismo para maior incentivo à pesquisa e auxilio a atração de pesquisadores da área de offshore para Pernambuco.

O reitor da UPE, Carlos Calado, complementou solicitando um mecanismo que contribuísse para a fixação de pesquisadores e professores no interior do Estado.

O secretário executivo do MCTI disse que o Conselho Nacional De Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) irá implementar um programa para incentivar o desenvolvimento de pesquisas que tratem de questões regionais.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Recife, apresentou para o ministro o projeto de estudo que elencou as dez principais cadeias produtivas da capital com potencial de inovação, solicitando apoio para a liberação de recursos. Entre elas, destacou as cadeias de logística, serviços técnicos especializados e de saúde.

Ele apresentou ainda os últimos detalhes do Parque Científico e Cultural do Jequiá. O Parque, que tem o apoio da Sectec e MCTI, contará com um planetário, um museu de arte, ciência e tecnologia, um centro de criatividade, um memorial dos cientistas notáveis, um Centro Vocacional Tecnológico (CVT), um laboratório ambiental e um parque para a juventude.

Foto: Evane Manço

Próximos Eventos