+55 (61) 9 7400-2446

Notícias

Veículos receberão chips de identificação a partir de janeiro de 2013

Começa em janeiro do ano que vem a implantação do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav). Cada veículo que circular pelas ruas e estradas brasileiras poderá ser identificado por meio de um microchip fixado no para-brisa. Antenas da rede de controle operada pelas autoridades de trânsito poderão captar informações armazenadas como placa e categoria do veículo.

A tecnologia desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun, com financiamento conjunto do MCTI e do Ministério das Cidades, será implantada gradativamente até junho de 2014. No total, foram investidos R$ 5 milhões.

“O sistema, que consiste na comunicação entre o chip e a antena, foi pensado para possibilitar outros usos, tanto públicos como privados. O fato de ser um sistema inédito permitiu a formalização de registro de patente, que está sendo operacionalizada pelo Departamento Nacional de Trânsito, o Denatran”, conta o coordenador de Capacitação Tecnológica, da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Setec) do MCTI, José Antônio Silvério.

A propriedade da patente do dispositivo foi cedida pelo Centro von Braun ao Denatran que custeou o pedido de registro no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Segundo o diretor do Centro, Dario Thober, um estudo abrangente e detalhado foi realizado para encontrar a solução de identificação mais segura e barata possível tecnologicamente.

“Verificou-se que apenas a faixa de frequência de 915 mega-hertz permitiria soluções industriais dentro do contexto previamente definido, ainda que com criptografia de alto desempenho embarcada no chip”, detalha Thober.

A instalação dos chips será feita pelos departamentos estaduais de trânsito (Detran) no licenciamento dos veículos ou, no caso dos que serão produzidos a partir de janeiro, ao fabricante. Além de placa e categoria, as informações obrigatórias serão número de série do chip, espécie e tipo do veículo. O serviço garante a confidencialidade das informações.

O sistema de identificação prevê, ainda, uma ferramenta de verificação de autenticidade de produtos e seus documentos, aplicada a toda a cadeia logística, para garantir ao consumidor que as mercadorias adquiridas são originais e transportadas de modo seguro.

Fonte: Agência Gestão CT&I de Notícias com informações do MCTI

Próximos Eventos