+55 (61) 9 7400-2446

Notícias

Setor de TI pode perder mais de R$ 115 bilhões até 2020 com déficit de profissionais

O Brasil terá um déficit na área de TI de 280 mil profissionais em atividades de software e serviços de TI em 2020, se mantidas as atuais condições de crescimento de receita, produtividade e capacidade de contratação de pessoal. É o que aponta o segundo volume do estudo “Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva”, realizado pela Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex) com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Os dados se referem ao período de 2003 a 2010.

Segundo o estudo, o quadro de escassez de mão de obra pode vir a ter um custo elevado. Considerada apenas a parcela de riqueza gerada por profissionais da área, em um período de 12 anos (2009 a 2020), a perda da receita líquida pode atingir R$ 115,4 bilhões. O relatório indica que haveria, até 2020, uma necessidade de contratação de cerca de 1,085 milhão de profissionais, que se somariam aos quase 460 mil do estoque de contratados no fim de 2008, chegando assim à demanda total de 1,545 milhão de profissionais estimada para daqui oito anos.

Em relação à Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI (IBSS), durante o período de 2003 a 2009, o número de empresas cresceu 4,3% anualmente. Se mantida essa taxa de crescimento, em 2012, a IBSS contará com cerca de 73 mil empresas. Em 2008, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul responderam por 86,7% do número total de empresas da IBSS – mais da metade, tem sede no estado de São Paulo. De 2007 a 2008, o número de empresas localizadas em São Paulo cresceu 13,1%, percentual acima da média verificada para o conjunto dos demais estados (11,7%).

Durante o período de 2003 a 2009, a receita líquida da IBSS cresceu, em termos reais, 8,2% ao ano. Se mantida esta taxa de crescimento, em 2012, a projeção é que a receita da indústria gire em torno de R$ 72 bilhões, representando 1,8% do PIB brasileiro.

Ainda de acordo com o relatório, a indústria é constituída, sobretudo, por microempresas e empresas de pequeno porte. Acima de 95% das empresas possuem até 19 pessoas ocupadas. Menos de 1% contam com cem ou mais pessoas ocupadas. Em 2009, a IBSS possuía 2.309 empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas. Ao longo dos anos, o número de empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas cresce proporcionalmente mais que o total. No período 2003 a 2009, a taxa média de crescimento desta subcategoria de empresas foi de 10,9% ao ano.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos