Notícias

Secretaria estrutura sistema capaz de mensurar investimentos em C,T&I no Amazonas

Mensurar os investimentos e ações em ciência, tecnologia e inovação (C,T&I) e avaliar os impactos econômicos e sociais desses investimentos e ações, são os objetivos do sistema de indicadores que está sendo desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Amazonas(SECT-AM). Nesta primeira etapa, o projeto irá agregar dados de todas as instituições que compõem o Sistema Estadual Público de C,T&I do Amazonas: Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam) e Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam); bem como integrar estes dados com sistemas nacionais, como Carlos Chagas e Lattes.  Já em um segundo momento, a proposta é que este seja abrangente a todas as instituições de ensino do estado.

A apresentação do projeto, que será financiado pela Fapeam, foi feita nesta terça-feira (15/03) pela coordenadora Profa. Dra. Andrea Viviana Waichman. “Nossa equipe é composta por seis profissionais, sendo três doutores, dois mestrandos e uma bolsista de graduação”, explica Andrea. Estavam presentes à reunião, o Secretário de Ciência e Tecnologia do Amazonas, Odenildo Sena, a Presidenta da Fapeam, Maria Olívia Simão, a Diretora Geral do Cetam, Joésia Moreira Julião Pacheco, e gestores e técnicos destas instituições, bem como da UEA.

O sistema será entregue no prazo de um ano, cumprindo as seguintes metas: levantamento de dados, desenvolvimento do sistema em si, treinamento de recursos humanos e disponibilização de relatório sobre os indicadores. Serão realizados, ainda, workshops regulares para adequações dos trabalhos e coleta de sugestões dos gestores.

Segundo Odenildo Sena, Secretário de Ciência e Tecnologia, o Amazonas é pioneiro na região norte. “Com esse sistema funcionando, poderemos fortalecer a região e incentivar nossos estados vizinhos a fazerem o mesmo, a terem essa ferramenta importante para a tomada de decisões”, explica. Odenildo ressalta ainda que a falta de indicadores gera falta de poder. “É muito mais fácil se trabalhar com dados concretos. Com eles, temos uma poderosa arma de negociação. Podemos, por exemplo, verificar em que áreas precisamos investir mais”.

A opinião foi compartilhada pela diretora-presidente da Fapeam, Maria Olívia. A professora destaca a contribuição que o projeto trará ao sistema de C,T&I, já que os dados armazenados permitirão avaliar o que está sendo feito neste setor,  além de prospectar as ações futuras. “Tomar tais decisões amparados em indicadores concretos nós dará muito mais segurança”, avalia.

Com o sistema poderá se mensurar dados como: o gasto em C,T&I por fontes de recurso, por setor de execução, e em relação ao PIB; a participação do segmento empresarial nesses investimentos; as áreas em que pesquisadores estão desenvolvendo suas atividades; a relação entre pesquisadores e a População Economicamente Ativa (PEA); a relação de pesquisadores por titulação; o total de publicações científicas por área do conhecimento e por instituição; o total de patentes depositadas por categoria de invenção; a densidade (produtividade) tecnológica; a taxa de inovação tecnológica das empresas; o desempenho inovador das indústrias; entre outras informações.

Fonte: Ascom SECT-Amazonas