+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

Robôs vão roubar 85 milhões de empregos em 26 países, Brasil entre eles

A Covid-19 acelerou o processo de substituição de humanos por robôs, indica o relatório O Futuro dos Empregos 2020, divulgado nesta quarta, 21/10, pelo Fórum Econômico Mundial. Segundo o estudo, o crescimento da automação vai implicar na perda de mais de 85 milhões de empregos nos 26 países pesquisados, o Brasil entre eles, até 2025.

A pesquisa aponta que mais de 80% dos executivos estão acelerando os planos para digitalizar processos de trabalho e implantar novas tecnologias; e 50% dos empregadores esperam acelerar a automação de algumas funções em suas empresas – percentuais que no caso do Brasil são ainda maiores, de 92% e 68%, respectivamente.

Cerca de 43% das empresas pesquisadas indicam que estão decididas a reduzir a força de trabalho devido à integração de tecnologia, 41% planejam expandir seu uso de contratados para trabalho especializado em tarefas e 34% planejam expandir sua força de trabalho devido à integração de tecnologia.

Como resultado dessa dinâmica, em 2025 o tempo de trabalho realizado por máquinas será quase o mesmo do despendido por humanos – se em 2020 a proporção é de 33% máquinas, 67% gente, em 2025 será 47% e 53%, respectivamente. As máquinas serão focadas principalmente no processamento de informações e dados, tarefas administrativas e trabalhos manuais de rotina.

Por outro lado, 97 milhões de novas oportunidades emergirão na economia de cuidados, nas indústrias de tecnologia da quarta revolução industrial, como inteligência artificial, e nos campos de criação de conteúdo. “As tarefas em que os humanos devem reter sua vantagem comparativa incluem gerenciamento, aconselhamento, tomada de decisão, raciocínio, comunicação e interação. Haverá um aumento na demanda por trabalhadores que possam preencher vagas na economia verde, funções na vanguarda da economia de dados e inteligência artificial, bem como novas funções em engenharia, computação em nuvem e desenvolvimento de produtos”, diz o relatório.

Em demanda crescente estão funções como analistas e cientistas de dados, especialistas em IA e aprendizado de máquina, engenheiros de robótica, desenvolvedores de software e aplicativos, bem como especialistas em transformação digital, em automação de processos, em internet das coisas e analistas de segurança da informação.

Por outro lado, escriturários, secretários administrativos e executivos, contadores e auditores, montadores e operários de fábrica, bem como gerentes de serviços comerciais e administrativos envolvem tarefas que tipicamente serão substituídas por máquinas. Segundo a FEM, praticamente 50% dos trabalhadores precisarão de requalificação ao longo dos próximos cinco anos.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos