+55 (61) 9 7400-2446

Notícias

Profissionais de TI se mostram otimistas com perspectivas para a carreira

Os profissionais de TI brasileiros estão bastante otimistas em relação às expectativas de carreira para este ano. Uma pesquisa encomendada à MBI Mayer & Bunge Informática pelo Grupo Educacional Impacta Tecnologia mostra que 44,6% deles acreditam que serão promovidos ao longo do ano, enquanto 33,7% têm expectativa que ela venha dentro de um a três anos. Comparando as respostas com o tempo que cada profissional está no cargo atual, o estudo constatou que 40% dos profissionais ocupam a posição há menos de três anos. Isso revela que esses profissionais podem estar otimistas demais em relação a promoções.

Os dados mostram que os profissionais que foram efetivamente promovidos nos últimos três anos, esperam ser promovidos novamente em um prazo de até três anos. Já os profissionais que estão há mais de dez anos no mesmo cargo esperam ser promovidos em um prazo bem maior. Assim, os profissionais de TI podem ser classificados em dois grupos: os que recebem promoções periódicas em períodos entre três e cinco anos, e aqueles que só são promovidos em períodos superiores a dez anos (ou já perderam as esperanças em relação a uma promoção).

Quanto à expectativa de remuneração neste ano, apenas 18% dos profissionais responderam não esperar por aumentos. Dos 82% restantes, pouco mais da metade espera aumentos pouco maiores que a inflação prevista para o ano (na faixa de até 15%). Entretanto, 35% do total dos entrevistados esperam aumentos superiores a 15%.

Oportunidades no mercado

Quando perguntados sobre qual seria o principal fator que os faria considerar trocar de emprego, 23,8% dos profissionais responderam que aceitariam uma colocação em outra empresa se houvesse a oportunidade de lidar com novas tecnologias. Para 22,8% o fator mais atraente seria uma remuneração melhor. Outros 20,8% responderam que aceitariam ir para uma empresa com ambiente de trabalho melhor e 24,8% parecem muito satisfeitos com o atual emprego, pois disseram preferir ficar onde estão no momento.

O estudo constatou, ainda, que quase a metade dos profissionais pretende aumentar, por conta própria, o investimento em qualificação técnica. Apenas 11% disseram que pretendem reduzir o investimento pessoal. A fatia de empregadores para a qual se espera um aumento de investimentos é de 38%, contra 49% para os profissionais, enquanto a fatia de empregadores que deve diminuir os investimentos é de 16%, contra 11% para os profissionais.

Esses números confirmam a continuidade de uma tendência já detectada há anos: a responsabilidade pela qualificação técnica dos profissionais de TI tende a ser, ano a ano, cada vez mais responsabilidade dos próprios profissionais, e não das empresas.

Áreas de aperfeiçoamento

Quando questionados sobre os ambientes técnicos dentro dos quais desejam se aperfeiçoar, as plataformas móveis lideraram as respostas com 44,6%, sendo seguidas de perto pelos ambientes Linux (41,6%) e Microsoft (39,6%). Essas três plataformas foram selecionadas por cerca de 40% dos profissionais. O número de respostas por profissional ficou próximo a dois, indicando o quão complexa é a realidade do profissional de TI.

Quando perguntados sobre as tecnologias específicas, as respostas se concentraram em três tecnologias: cloud computing (64,4%), plataformas móveis (47,5%) e virtualização de servidores (38,6%).

A pesquisa foi realizada com 101 profissionais de TI e executivos da área de tecnologia que atuam em grandes e médias empresas usuárias de TI ou do próprio setor de TI, em dezembro de 2011.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos