Notícias

Primeira doutora auxiliada pela Fapes destaca o papel da bolsa nos seus estudos

Marcia Vanacor Barroso foi a primeira bolsista apoiada pela FAPES (Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo) a ser tornar Doutora. A apresentação da tese ocorreu no final de 2010, na qual a pesquisadora apresentou seu trabalho “Utilização do copépodo acartia tonsa para diferentes fases de desenvolvimento da larva do robalo-peva centropomus parallelus”, e através deste obteve o título de Doutora em Aqüicultura.

As bolsas de doutorado são disponibilizadas pela FAPES a estudantes e a pesquisadores de órgãos públicos estaduais, visando à formação qualificada desses profissionais em cursos reconhecidos, capacitando-os para atuação, principalmente, no Espírito Santo.

A Dra. Marcia Vanacor destaca que sem a bolsa seria inviável a realização do doutorado. “Um curso de doutorado fora do nosso local de origem acarreta custos adicionais altos, que demandam o apoio financeiro proveniente de uma bolsa de estudos, sem a essa especialização seria inviabilizada. Estes argumentos foram compreendidos pela diretoria e pelo conselho que liberaram a bolsa para realização do doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina”. A concessão do custeio foi permitida pelo fato de não haver curso de tal especialização no Estado, sendo a Universidade Federal de Santa Catarina pioneira na área em todo o Brasil.

Com a conclusão do curso, a Dra. Marcia Vanacor, que é pesquisadora estadual do INCAPER, revela como está praticando o conhecimento adquirido. “No doutorado trabalhamos com piscicultura marinha, área de estudo que ainda tem muitas lacunas que necessitam ser pesquisadas. A continuidade deste trabalho está sendo desenvolvida no Espírito Santo, através de parceria com a UFES (Base Oceanográfica), onde estamos readequando a metodologia visando utilizar os copépodos em cultivos de vermelhos, olhetes, carangueijos, dentre outras espécies marinhas de grande importância econômica e social.”.

Além de bolsa de doutorado, a FAPES conta ainda com bolsas a outros 12 títulos, como mestrado e pós-doutorado, e outras formas de incentivo, como apoio a projetos. Em 2010 foram 100 bolsas destinadas à Iniciação Científica, 183 à Iniciação Científica Júnior e 335 bolsas de Mestrado.

Hoje a Fundação disponibiliza 213 bolsas a estudantes de mestrado e 51 aos de doutorado. A previsão é de que o processo de requerimento esteja disponível ainda no primeiro semestre de 2011.

Fonte Portal SCT/ES de 18/01/2011

Próximos Eventos