Destaques

Pesquisa mostra que falta de habilidade digital dificulta desenvolvimento econômico-social

Para avaliar as habilidades digitais da população brasileira e sua relação com o desenvolvimento econômico, a Google e a consultoria Mckinsey divulgaram nesta segunda-feira, 25, a pesquisa “Digital Skills Index – Índice de Habilidades Digitais”, onde foram analisadas 5 dimensões classificadas como acesso, uso, segurança, cultura digital e criação.

Essa iniciativa inédita pretende ser referência para estudos futuros sobre o desenvolvimento de competências digitais entre os brasileiros e seu impacto sócio econômico, explica Paula Castilho, sócia da Mckinsey.

Para medir cada dimensão elaborou uma série de questões simples, para avaliar o quanto cada entrevistado conhecia ou não cada uma das dimensões, atribuindo-se nota de 1 a 5 para uma delas. A média geral auferida foi 3.

Mas, quando se avalia a dimensão criação, fundamental para o desenvolvimento profissional a média foi 1,8. Esse item avalia, por exemplo, conhecimento de ferramentas para gerenciamento de publicidade on line, uso de ferramentas para promoção de conteúdo, programação em diferentes linguagens de desenvolvimento de sistemas.

Segundo Paula, no limite, todas as competências combinadas podem ter um impacto de até +R$380 na renda mensal de um trabalhador, equivalente a quase 40% do salário mínimo. Com potencial para adicionar US$ 70 bilhões ao PIB até 2025.”

Com o aprimoramento no uso da tecnologia, ele pode gerar um aumento de cerca de 0,4 pontos percentuais na economia ao ano, o que representa um incremento de mais de 15% no crescimento projetado para o PIB brasileiro nos próximos anos, conclui a pesquisa.

Participação feminina

Um dos temas levantados pela pesquisa, é baixa participação das mulheres nas questões envolvendo tecnologia e mercado de trabalho: em 2018, as mulheres corresponderam a apenas 15% das inscrições para a carreira de Ciências da Computação, na USP; somente 13% dos candidatos para a carreira de desenvolvedor são mulheres e apenas 1 entre 10 candidatos para trabalhar em TI é mulher.

Mas não só a questão de gênero dificulta as oportunidades de trabalho: 95% dos desempregados brasileiros pertencem às classes C/D/E.

Por entender que a digitalização tem repercussão direta sobre a renda e as oportunidades de desenvolvimento social do Brasil, o Google está promovendo novamente esse ano megaeventos em estádios em 5 cidades diferentes. Desde sua criação no final de 2017 mais de 50 mil pessoas foram treinadas em 7 diferentes cidades brasileiras. Veja o calendário deste ano aqui.

Pesquisa

A pesquisa entrevistou 2477 entrevistas, 60% através de questionários on line e 40% pessoalmente. A faixa etária foi 15 a 60 anos, A-D, em 5 regiões, 12 estados em

28 cidades: São Paulo, Ribeirão Preto, Jundiaí, Rio de Janeiro, Niterói, Duque de Caxias, Belo Horizonte,  Juiz de Fora, Gov. Valadares, Porto Alegre, Pelotas, Santa Maria, Curitiba RM, Londrina, Maringá, Goiânia, Campo Grande, Brasília, Salvador,, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Recife, Jaboatão dos Guararapes, Caruaru, São Luís, Manaus RM, Parintins, Belém. Nas capitais, a pesquisa foi feita na região metropolitana.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos