+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

Para ganhar destaque, arquiteto de apps e sites precisa saber vender a tecnologia

A necessidade de novos canais de vendas e relacionamento com o cliente fez com que o profissional de plataformas mobile e web se tornasse cada vez mais procurado pelo mercado de varejo e start-ups. Para se destacar, é preciso saber gerir e ter visão de marketing.

“O profissional que gerencia a plataforma mobile ajuda a empresa a gerar receita por meio de um novo canal”, explica Ricardo Basaglia, diretor-executivo da recrutadora Michael Page.

O profissional tem duas funções principais. “A primeira é a concepção da plataforma, quais funções ela deve ter e como será usada. Depois vem a fase de aprimoramento, acompanhar se há erros, se é possível melhorar a interface. É preciso ter visão de marketing”, diz Basaglia, formado em design industrial pela Universidade Positivo, em Curitiba.

O profissional de plataforma web e mobile é muito requisitado por e-commerce. “Os aplicativos ditaram um novo rumo nos negócios. É importante que tenham desempenho rápido, que vai gerar mais atividade e vendas”, afirma Leandro Bittioli, gerente da divisão de Tecnologia da Informação da recrutadora Talenses.

Segundo ele, o gerente de plataformas mobile e web costuma ter formação em tecnologia, ciência ou engenharia da informação.

“É preciso maturidade técnica, bastante conhecimento em tecnologia, mas também em gestão e relacionamento. O dia a dia é entender, junto com outras áreas da empresa, como usar a tecnologia de uma forma estratégica”, explica Bittioli.

Diretor de produtos web e mobile na Alura Cursos Online, Paulo Silveira, 36, é formado em ciência da computação pela USP (Universidade de São Paulo) e vê muita demanda por gerentes de mobile e web.

“Invariavelmente, os produtos na internet precisam ter sua versão mobile, seja ela nativa (um app) ou web (o chamado design responsivo). Só assim pode-se atingir o mercado em sua totalidade, ainda mais considerando que determinadas classes sociais e faixas etárias têm o smartphone não como meio principal de acesso, mas como único meio.”

GESTÃO

Gerente de produtos na Pixeon, empresa que desenvolve sistemas para laboratórios e hospitais, Richard Martin precisa aliar conhecimentos técnicos e de gestão.

“Minha rotina é fundamentada em três pontos: gestão da equipe de desenvolvimento, atendimento ao cliente e monitoramento de tecnologias. O grande desafio é aliá-los para atender às necessidades do mercado.”

Para Caroline Cadorin, gerente da recrutadora Hays, é importante que o profissional dessa área seja engajado. “Ele precisa ser bastante ativo no estudo de novas tendências e plataformas. Ele deve se manter atualizado independentemente de isso ser um requisito da empresa. Tem que ser uma motivação pessoal.”

Fonte: Folha de São Paulo

Próximos Eventos