Notícias

ONG quer erradicar favelas e conectar 4 milhões à internet no Chile

m uma apresentação com tom modesto neste domingo (29), o fundador do Centro de Inovação da ONG Um Teto para Meu País, Julián Ugarte, apresentou metas ambiciosas: a associação quer acabar com as favelas chilenas até 2014 e conectar à internet cerca de 4 milhões de pessoas carentes.

“Se um mané que nem eu, que veio de uma cidade pequena de um país no fim do mundo e não estudou em uma escola mediana pode fazer esse tipo de coisa, todo mundo pode fazer”, disse, durante a fala na Campus Party de Recife, evento que vai até esta segunda (30).

Yuri Gonzaga/Folhapress
Julian Ugarte, fundador da ONG chilena Teto
Julian Ugarte, fundador da ONG chilena Teto

Ugarte conta que, quando da fundação da organização (1997), havia 120 mil famílias chilenas vivendo em favelas. O voluntariado no país, alavancado por jovens cuja idade máxima é “26 ou 27 anos”, mudou esse cenário, diz o designer industrial.

“Ao invés de passar um final de semana tomando caipirinha com seus amigos, iam morar numa favela e construir moradias de emergência. E só isso os torna super-heróis.”

Segundo a ONG, cerca de 500 mil voluntários ajudaram a construir 85 mil moradias de emergência e 3.310 definitivas na América Latina. A meta para 2012 é entregar mais 13 mil casas provisórias.

“A Teto cresce muito rápido, mas não é o suficiente para sanar os gravíssimos problemas que tem o mundo. Um terço da população mundial não tem energia elétrica, por exemplo.”

A ideia não é fazer o mesmo que o governo chileno fazia na década de 90, segundo Ugarte, levando pessoas para zonas isoladas: “Isso não inclui as pessoas, mas cria guetos”, diz.

filial brasileira é uma entre as 19 que existem, todas latino-americanas.

ALUGUEL DE PCS

Para conectar os chilenos à internet, a ONG lançou um projeto que, ao invés de dar ou de vender notebooks para pessoas carentes, os aluga por cerca de R$ 40 mensais, preço que direito a conexão ilimitada à internet.

O valor representa metade do que as famílias pobres do Chile costuma gastar em LAN houses, segundo Ugarte. O projeto tem participação da Telefónica.

“Estávamos desenvolvendo um aplicativo para conectar as pessoas. Mas elas não tinham nem conexão. Então tivemos a ideia do projeto.”

O Chile tem IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,805, segundo dados da ONU de 2011. Isso coloca o país na “elite” do indicador –é o 44º país mais bem colocado. O Brasil tem IDH de 0,718 (intermediário, 84º melhor).

Fonte: Jornal Folha de São Paulo

Próximos Eventos