+55 (61) 4101-6508 / 4101-6509

Notícias

Novos institutos de pesquisa e descentralização do investimento serão priorizados no Espírito Santo

Descentralização dos investimentos, criação de novos institutos de pesquisa, e apoio a micro e pequenas empresas inovadoras. Estas serão as prioridades para fortalecer a área de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) do Espírito Santo. A informação é do presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapes), Anilton Salles Garcia.

De acordo com ele, o planejamento estratégico do governo estadual já prevê ações para esses temas e o cenário é favorável. “Temos grandes expectativas de crescimento do sistema estadual de CT&I. Existe um alto crescimento nas instituições federais de C&T e o setor privado está fazendo fortes investimentos”, disse para o Gestão C&T online, nesta sexta-feira (25), em Vitória (ES), durante o Fórum do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap).

O orçamento da pasta no Estado soma R$ 35 milhões, recursos exclusivos da Fapes. De acordo com ele, o montante poderá ser turbinado, por meio de iniciativas horizontais, oriundas de diversas secretarias que têm ações de C&T. Exemplo é o acordo que será firmado com o Instituto do Meio Ambiente para apoiar projetos que promovam a preservação de recursos hídricos e o reflorestamento, que contará com aporte de R$ 5 milhões.

“Existe o desenvolvimento de um programa através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico para atração de grandes empreendimentos e estamos atrelando a essa atração o investimento em CT&I”, falou. “Também precisamos apoiar as pequenas empresas inovadoras, já que elas têm um papel muito forte na economia do Estado. Ou temos micro e pequenas empresas capacitadas e fazendo inovação ou elas estarão fora”, completou.

A Fapes também pretende estimular projetos que visem melhorar as condições das instituições que estão no interior do Estado. “Ainda existe uma forte concentração na área da Grande Vitória. Nossa proposta é criar um diferencial de desenvolvimento. Vamos descentralizar o investimento”, garantiu Salles Garcia.

Institutos de Pesquisa
Os institutos de pesquisa também receberão atenção especial, segundo o presidente da Fapes. Além de fortalecer as três instituições já existentes, por meio da oferta de bolsas de mestrado e doutorado, a meta é estimular a criação de novas unidades e para tanto já há negociações em curso.

Para se ter uma ideia, em parceria com as secretarias de Segurança Pública e de Saúde, serão criados dois novos empreendimentos voltados para o combate à criminalidade, com o  envolvimento das áreas de assistência social, educação, indicadores estatísticos e tecnologia, e para a saúde comunitária. “Nossa proposta é discutir a criação de outros institutos em áreas estratégicas definidas a partir do planejamento estratégico do governo”, concluiu.

Fonte: Gestão C&T de 25/02/2011

Compartilhe:

    Próximos Eventos