+55 (61) 9 7400-2446

Notícias

Miriam Leitão: ‘Poucas empresas investem em inovação’

Os números da indústria brasileira divulgados na terça-feira (31) foram decepcionantes. Dos 27 setores pesquisados, 12 encolheram no ano passado. A indústria ficou estagnada. Em 2009, ela ficou negativa, recuperou fortemente a produção em 2010, terminando o ano em 10,5%, mas, em 2011, terminou com 0,3%. Esse número prova que o setor ficou estagnado. Dos setores que caíram, os que tiveram pior resultado foram a automobilística e a têxtil.

O problema é que a indústria brasileira não está enfrentando os problemas estruturais. O governo dá curativo, reduz um IPI daqui, aumenta IPI para produto importado, mas não vai às raízes da falta de competitividade da indústria brasileira, por exemplo, a alta carga tributária, a logística ineficiente e o alto custo sobre o emprego.

O governo não está olhando para os problemas estruturais. A indústria brasileira só cresce quando se recupera, como aconteceu em 2010, e depois, fica estagnada. Ela está perdendo a briga da competição internacional.

A China é importante, porque ela é um problema para todo mundo, mas dá para competir, principalmente se o Brasil escolher os setores e investir em inovação. Poucas empresas investem em inovação. O governo tem que tirar os obstáculos do caminho e as empresas têm que investir mais em inovação, se não, não dá para competir.

A China tem a capacidade de produzir, em vários setores, mais baixa do que o Brasil. Então, temos que saber quais são os nossos nichos e o Brasil sabe que pode.

Fonte: Portal G1 (adaptado)

Próximos Eventos