+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

LGPD não vai barrar décadas de negligência com os dados no Brasil

O ano de 2021 será marcado por vazamento gigantes de dados no mundo e no Brasil, afirma o CEO da Axur, Fabio Ramos. Em entrevista ao Convergência Digital, o executivo diz que aqui a Lei Geral de Proteção de DAdos Pessoais não será suficiente para barrar a exposição das informações depois de décadas de negligência com os dados e muitas empresas vão viver um pesadelo para se adequar à legislação.

“Proteger informação não está na nossa cultura e há muito trabalho pela frente. A Covid-19 piorou ainda mais o cenário porque há muitas frentes de exposição”, sustentou o especialista. Nesta quinta-feira, 21/01, a Axur divulgou o Relatório Anual 2020 de Atividade Criminosa Online no Brasil, onde se percebe que os ataques virtuais aumentaram 99,23%, comparados ao ano anterior, e um dos grandes fatores desse crescimento foi a pandemia causada pelo coronavírus.

Um triste recorde para o Brasil foi constatado. O País, segundo o estudo, O Brasil, é o campeão em vazamentos de cartões de crédito e débito, contabilizando sozinho 45,4% do total mundial. O levamento da Axur mostra que, no ano passado, foram 2.842.779 cartões expostos detectados. Somente no quarto trimestre, foram identificados pela Axur 325.250 cartões de crédito e débito com dados completos, expostos da web superficial à deep e dark web e distribuídos entre 17.902 BINs distintas.

No caso dos vazamentos de dados, Ramos observa que é preciso saber como a Autoridade de Dados vai atuar com os órgãos públicos- que têm grande quantidade de dados pessoais do cidadão brasileiro armazenados. “O vazamento do ministério da Saúde no final do ano passado, até agora, não foi explicado. A punição tem de ser igual para o público e para o privado a partir de agosto de 2021, quando a LGPD vai pesar no bolso”, observou.

Para minimizar os roubos de dados, a Axur, junto com varejistas como a B2W, dona das Americanas, criou na Black Friday de 2020, o site possoconfiar.com.br. A partir dele, o cidadão pode rapidamente verificar se a página que está vendo para fazer a compra online é verdadeira ou é um phising. “Muitos dos phisings no varejo são muito bem feitos. Nossos algoritmos detectam e avisam. O site foi criado para a black friday, mas segue ativo. Ele funciona de forma semelhante ao Reclame Aqui na parte de reputação das empresas”, completa o CEO da companhia.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos