Destaques

IoT: Pesquisa mostra que serviços de IoT podem gerar US$ 35 bilhões para operadoras até 2022

Um estudo da Juniper Research identificou que até 2022 as operadoras de telefonia móvel podem gerar coletivamente US$ 35 bilhões de receitas adicionais por ano a partir de fluxos de receita advindos de novos serviços de IoT – Internet das Coisas. Se os projetos forem implementados, juntamente com a economia de custos identificada no estudo, permitiriam às operadoras compensar o impacto da queda das receitas de voz e dados e manter, ou mesmo aumentar, as margens atuais.

No estudo “Modelos de negócios de futuros operadores móveis: desafios, oportunidades e estratégias 2018-2022”, Juniper argumentou que serviços como IoT, mensagens A2P, faturamento via operadora e big data analytics forneceriam coletivamente um aumento líquido de mais de US$ 7 bilhões. este ano. Observou que, com o número de dispositivos conectados que devem quase triplicar entre 2017 e 2022, de 17,5 milhões para 51,5 milhões, a demanda por conectividade onipresente se aceleraria, representando uma oportunidade clara para a expansão de produtos voltados para empresas.

A pesquisa também afirmou que, embora a grande coleta de dados apresentasse alguns desafios em torno da segurança e da anonimização, os dados brutos ou empacotados poderiam ser monetizados via pagamento por uso, uso medido ou assinatura fixa.

Melhoria do CRM “essencial para a retenção de clientes”

Além disso, a pesquisa delineou estratégias através das quais MNOs podem reduzir custos em suas operações. Argumentou-se que melhorias significativas eram necessárias no CRM (Customer Relationship Management) para maximizar a retenção de clientes, crítica em mercados saturados.

De acordo com o autor da pesquisa, Windsor Holden, “ainda há altos níveis de insatisfação com relação a questões como o tempo necessário para responder a chamadas de reclamações. Além disso, como as operadoras buscam diversificar e oferecer novos serviços, elas, por sua vez, precisarão garantir que seus serviços de CRM sejam robustos o suficiente para lidar com a inevitável gama de consultas que elas provocarão”.

Enquanto isso, a pesquisa também recomendou que as operadoras implementassem o compartilhamento de rede para reduzir os custos de locação e infraestrutura do site. Mostrou que a estratégia reduziria os gastos de capital e operacionais, além de permitir uma implantação mais rápida e reduzir as pegadas de carbono.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos