Destaques

Internet ultrapassa TV como principal fonte de informações científicas no Brasil

A maioria dos brasileiros tem uma perspectiva otimista em relação `a ciência e tecnologia, segundo indica a pesquisa Percepção Pública da C&T no Brasil 2019, realizada pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) por encomenda do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Uma das indicações da pesquisa é que a internet se tornou o principal canal de informação científica, ultrapassando a televisão pela primeira vez dentre as cinco edições desse levantamento: em 2006, a TV aparecia com 15% das respostas, enquanto a internet apenas 9%. Em 2019, a TV foi citada como principal fonte de informação científica por apenas 11%, enquanto a internet, 14%.

Os resultados mostram alguma afinidade com temas científicos. Assim, 86% associam o sistema de posicionamento global GPS com o uso de satélites; 81% entendem que o centro da Terra é muito quente e 80% que terremotos podem causar tsunamis. Por outro lado, 73% acreditam que antibióticos matam vírus – quando na verdade o alvo são as bactérias.

“Particularmente preocupante foi o desconhecimento dos brasileiros quanto ao uso de antibióticos, especialmente considerando que o uso excessivo e inadequado de antibióticos é a principal causa de resistência antimicrobiana no mundo e é importante problema de saúde pública”, conclui o estudo.

A pesquisa também alerta que apesar da credibilidade em universidades e pesquisadores, 90% dos entrevistados não souberam apontar o nome de algum cientista e 88% não se lembravam de nenhuma instituição de ciência, nem mesmo universidades.

A pesquisa ouviu 2,2 mil pessoas, de 16 a 75 anos de idade, residentes em todas as regiões do país. Os entrevistados acreditam que a C&T é essencial para o desenvolvimento da nação e 86% deles creem que a pesquisa científica é preponderante para a indústria. O mesmo percentual vê a C&T como um meio para gerar mais oportunidades.

Do total de participantes, 62% declararam ter algum nível de interesse em C&T. A lista de temas que mais atraem a atenção do brasileiro tem, na linha de frente, medicina e saúde (79% afirmaram ter interesse nesses temas) e meio ambiente (76%). O prestígio se estende aos próprios cientistas que, para 41% dos entrevistados, são considerados “pessoas inteligentes que fazem coisas úteis à humanidade”.

Para os brasileiros, os cientistas de universidades e institutos públicos de pesquisa estão entre as fontes mais confiáveis de informação com as quais se pode contar. O levantamento revelou que, em uma escala de -1 a 1, o índice de confiança dos cidadãos nessa categoria profissional é de 0,84, atrás apenas dos médicos (0,85). Em seguida, aparecem cientistas de empresas (0,46).

A maior parte da população defende, ainda, mais investimentos governamentais em C&T. De acordo com a edição de 2019 da pesquisa Percepção Pública da Ciência e Tecnologia no Brasil, cerca de 90% dos cidadãos afirma que é importante aumentar ou manter os esforços do governo na área.

Fonte: Convergência Digital com informações do CGEE

Próximos Eventos