Destaques

Fundo de private equity substitui BNDES na composição acionária da CI&T

A CI&T, multinacional brasileira especializada em transformação digital de impacto para marcas globais, anunciou hoje que a Advent International (“Advent”), um dos maiores e mais experientes investidores globais em private equity, fez um acordo de investimento minoritário estratégico na CI&T. Os fundos serão usados para acelerar ainda mais o rápido crescimento da companhia na América do Norte, Europa e região da Ásia-Pacífico.  Os empreendedores fundadores da CI&T permanecem como acionistas majoritários do negócio. Os termos da transação não foram divulgados.

A CI&T é parceira em soluções de tecnologia digital para algumas das maiores companhias do mundo. Desde 1995, ajuda empresas da Fortune 1000 a prosperar em um cenário de mudanças tecnológicas cada vez mais aceleradas. A CI&T oferece competências em estratégia, pesquisa, design e engenharia, transformando digitalmente os negócios dos clientes por meio da cocriação de novos modelos de negócios, produtos e plataformas digitais, além de formas inovadoras de trabalhar.

Os resultados financeiros da CI&T em 2018 mostram um crescimento mundial contínuo. A empresa encerrou 2018 com 26% de aumento no faturamento global, quando comparado ao ano anterior. Também registrou 62% de crescimento na receita da América do Norte no ano passado, na comparação com 2017. Com 2.500 estrategistas, designers e engenheiros na América do Norte, América Latina, Europa e a região da Ásia-Pacífico, a CI&T tem escala para atender às necessidades dos clientes da Fortune 1000, com agilidade para atingir a velocidade demandada pelos clientes do mercado atual.

Como parte dessa transação, o BNDESPAR, a divisão de participações societárias do BNDES, deixa de ser acionista da CI&T. O BNDES era sócio da CI&T desde 2005, tendo como objetivo principal apoiar a sua expansão internacional.

“Entendemos que o investimento na CI&T atingiu a maturidade na carteira da BNDESPAR, considerando que a tese do investimento apresentada em 2005 foi cumprida”, concluiu Márcio Spata, Superintendente da Área de Gestão de Participações do BNDES.

A transação está sujeita às condições habituais de fechamento e deve ser concluída no terceiro trimestre de 2019.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos