Notícias

FAPERJ lança edital de treinamento e capacitação técnica

A Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa (Faperj) lançou seu sexto edital de 2011, o Programa de Treinamento e Capacitação Técnica – 2011 (TCT). Criado em 2007, o programa chega a sua quinta edição e mantém as principais características de suas versões anteriores. Com o objetivo de aperfeiçoamento de técnicos de nível fundamental, médio e superior, participantes de atividades de apoio a projetos financiados pela Faperj, o TCT procura valorizar a formação obtida dos integrantes do programa, visando ao seu posterior ingresso no mercado de trabalho. A versão 2011 do programa de Treinamento e Capacitação Técnica contará com recursos de R$ 1,2 milhão.

As inscrições no programa podem ser feitas até 16 de junho, e a entrega da cópia impressa da proposta deve ser feita até 28 de junho. A divulgação dos resultados será feita a partir de 28 de julho e as bolsas passam a vigorar a partir de 1º de setembro.

Podem apresentar projetos pesquisadores com grau de doutor ou equivalente e vínculo empregatício em instituições de ensino e pesquisa fluminenses, envolvidos no desenvolvimento de projetos ativos financiados pela Faperj, aos quais se pretende vincular as atividades do bolsista a ser indicado. Não serão considerados projetos de Auxílio Instalação – INST; Auxílio para Organização de eventos APQ – 2; Auxílio à Editoração – APQ 3; e Auxílio para Participação em Reunião Científica – APQ 5. Pesquisadores contemplados nas versões 2009 e 2010 do programa e que coordenem bolsas implementadas e ativas não poderão concorrer a nova solicitação neste edital.

O bolsista indicado deverá ser técnico de nível fundamental, médio ou superior, com ou sem pós-graduação, com aptidão específica e essencial à execução de projeto, ao qual deverá dedicar 40 horas semanais. O indicado também não pode ter vínculo empregatício, público ou privado, nem acumular qualquer outra bolsa. Também é vedada a sua concessão a qualquer aluno matriculado em curso de pós-graduação stricto sensu.

As bolsas terão duração de 12 (doze) meses, admitindo-se, no máximo, duas renovações por igual período. De acordo com a atividade a ser desenvolvida pelo bolsista, as propostas serão classificadas em diferentes faixas: TCT 1, para técnicos de nível fundamental, sem formação específica; TCT 2, para técnicos de nível médio, sem formação específica; TCT 3, para técnicos de nível médio, com formação específica na área a que se destina; TCT 4, para técnicos de nível superior, com formação específica na área a que se destina; TCT 5, para técnicos com pós-graduação stricto sensu, a nível de mestrado, com formação específica na área a que se destina.Fonte: Ciência e Tecnologia RJ