Notícias

Experiência em Educação Profissional do Ceará servirá de modelo para o Espírito Santo

Dirigentes de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo estiveram no Ceará para conhecer as experiências do Estado com o ensino profissional. O secretário de C&T, Jadir Péla, e o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes), Anilton Salles Garcia, estiveram reunidos no dia 20/07, no gabinete do secretário René Barreira, titular da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará – Secitece, para conversar sobre os modelos adotados na área técnica.

A maioria das ações de capacitação profissional da Secitece são desenvolvidas por meio de contrato de gestão com o Instituto Centec. No interior do Estado, as Faculdades Tecnológicas (FATECs) formam técnicos de nível médio e tecnólogos de nível superior; os Centros Vocacionais Técnicos (CVTecs), fazem educação profissional técnica de nível médio. Já os Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs), promovem a formação inicial e continuada de trabalhadores em geral; e os Centros Digitais do Ceará (CDC) capacitam jovens e adultos em TI. As informações foram passadas aos dirigentes do ES pelo secretário adjunto da Secitece, Almir Bittencourt, e pelo diretor de Administração do Centec, Cláudio Montenegro.

De acordo com o coordenador de Ciência e Tecnologia da Secitece, Francisco Carvalho, a uniformidade que o governo estabeleceu com a criação do novo catálogo de cursos, favoreceu as disciplinas e a aceitação dos tecnólogos. “O que acontecia aqui no Estado é que engenheiros civis estavam ocupados a função de tecnólogos”, disse Carvalho, exemplificando o que antes ocorria na área da Engenharia.

O secretário do ES admite que ainda há uma barreira no Estado para os tecnólogos no mercado de trabalho. “Sou muito favorável a formação de tecnólogos, mas no Espírito Santo a rejeição é muito grande”. O secretário lembrou que a formação ainda não está regulamentada, mas que há uma projeto lei do deputado federal Vicentinho (PT/SP), que dispõe sobre a remuneração de profissionais diplomados em Escolas de Engenharia, Química, Arquitetura, Agronomia e Veterinária, estendendo aos tecnólogos o mesmo tratamento previsto em lei, mas ainda está para aprovação no Congresso Nacional.

O tecnólogo tem papel fundamental e atua, de acordo com Cláudio Montenegro, como o “meio de campo” no mercado. Em países da Europa esta função é bem definida. Sobre áreas específicas, como a portuária, o presidente da Fapes, Anilton Salles Garcia, confirmou que há escassez de gente qualificada, quando fez a consulta na Secretaria Especial de Portos, do governo federal, e na Agência Nacional de Transportes Terrestres. Mas no Ceará, o setor está atendido através do CVT Portuário, da Companhia Docas do Ceará.

Inclusão no ES
O presidente Anilton Salles citou como um dos exemplos de sucesso na inclusão social do Espírito Santo, o Núcleo de Cidadania Digital (www.ncd.ufes.br/ncd), programa da UFES que oferece produtos e serviços à comunidade.

Anilton representa fora da Europa a Rede European Network of Living Labs (www.openlivinglabs.eu), do qual o NCD é membro. “O núcleo promove cidadania informacional, agregando valor à vida das pessoas. Essa é a meta. O case NCD precisa ser replicado em todo os estados”.

Amparo à pesquisa
Os dirigentes do Espírito Santo também conheceram as ações de estímulo à pesquisa realizadas pela Secitece. Como estímulo para que os doutores permaneçam desempenhando suas atividades no interior, é disponibilizada, através da Funcap, a Bolsa de Produtividade em Pesquisa e Estímulo à Interiorização, destinada a docentes e pesquisadores lotados e residentes em Instituições de Ensino Superior e Pesquisa localizadas no interior. Atualmente são 70 bolsas para doutores, e para cada um deles são disponibilizadas três bolsas de Iniciação Científica, destinadas para os orientandos da pesquisa, o que totaliza 210 bolsas.

Anilton Salles citou que no ES a bolsa é concedida como apoio ao desenvolvimento das pesquisas (aquisição de materiais, participação em congressos, etc), como mais uma forma de aumentar a produtividade dos pesquisadores.

O secretário Jadir Péla retornará ao Ceará em setembro, para se inteirar mais das outras ações de ensino profissional realizadas no Estado, como as Escolas de Ensino Médio Integrado (EMI). A ideia é buscar subsídios para a formulação de uma proposta na área de qualificação profissional no Espírito Santo

Fonte: SECITECE-CE

Próximos Eventos