Destaques

Estudo mostra efeito da transformação digital em todos aspectos dos negócios tradicionais

As empresas do Brasil querem que os fornecedores de transformação digital de negócios ajudem a criar melhores experiências para o cliente e transformem toda a sua jornada, segundo o novo relatório publicado pela Information Services Group (ISG) empresa global de pesquisa e consultoria em tecnologia.

O relatório Digital Business Transformation Brazil 2019 publicado pela ISG Provider Lens vê o mercado de transformação digital do País mudando todos os aspectos dos negócios tradicionais. Empresas procurando fornecedores para ajudá-los a melhorar seus processos de vendas, design de produto, cadeia de suprimentos e gerenciamento de recursos humanos e outras funções principais. Em geral, isso significa que essas companhias estão em busca de se tornar mais ágeis e transferir mais cargas de trabalho para a nuvem, segundo o relatório.

A jornada do cliente é um grande foco no mercado brasileiro, com a maioria dos provedores usando design thinking para endereçar as expectativas e necessidades dos clientes, segundo o relatório. “Na era digital, os clientes compram experiências, sentimentos, bem-estar, conforto e conveniência, e muitas empresas enxergam a transformação digital como uma forma de atender a essas expectativas”, disse Esteban Herrera, sócio e líder global da ISG Research.

Outros pontos importantes da jornada da transformação digital no Brasil incluem automação de processos robóticos (RPA) e inteligência artificial (AI), segundo o estudo. Mas a RPA e a AI não estão reduzindo o número de funcionários; em vez disso, as tecnologias estão assumindo tarefas repetitivas para os trabalhadores.

Agilidade é outro grande objetivo da transformação digital. Muitas empresas querem que os fornecedores os ajudem a se tornar mais ágeis de várias maneiras, disse Herrera. “A agilidade corporativa vai muito além do desenvolvimento de software. As empresas precisam endereçar expectativas individuais dos clientes de forma rápida e eficiente, com mínima variação de custo, esforço ou ruptura nos negócios. Elas precisam de entregas contínuas para permanecerem competitivas”.

O relatório destaca o surgimento de ecossistemas, que ele chama de “parcerias de um nível mais alto”. Anteriormente usadas para expandir os canais de vendas, essas parcerias agora visam criar novas ofertas, desenvolver novos mercados e melhorar a experiência do cliente. Co-criação e colaboração definem o ecossistema moderno.

O Relatório Digital Business Transformation Brazil 2019 da ISG Provider Lens avalia as capacidades de 29 provedores em sete quadrantes: Viabilizando a jornada do cliente, Operações corporativas digitais, Plataformas digitais transformacionais (PaaS), Serviços digitais transformacionais (XaaS), Criação e customização de produtos digitais, Entrega contínua digital e Blockchain como Serviço.

O relatório nomeia a IBM como líder em todos os sete quadrantes, enquanto a Accenture é líder em seis. Cognizant e Stefanini são nomeados líder em quatro quadrantes, Wipro em três, e CI&T e Ilegra em dois. Atos, DXC Technology, Publicis Sapient AG2, Softtek, Tech Mahindra e TIVIT são citados como líderes em um quadrante.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos