Notícias

Dispositivos móveis ‘roubam’ lugar dos PCs na rotina das corporações

A força da mobilidade é uma realidade. O Gartner revelou que 821 milhões de smartphones e tablets serão adquiridos em 2012 no mundo, volume que alcançará 1,2 bilhão em 2013. O estrelato dos “PCs” está, definitivamente ofuscado.

“Na maioria das empresas smartphones e tablets não vão substituir totalmente os PCs, mas a onipresença dos smartphones e a popularidade crescente de tablets mudaram a forma como os consumidores abraçam os devices e determinam uma guinada nas estratégias de negócios”, afirma Carolina Milanesi, vice-presidente de pesquisa da consultoria.

Os tablets também têm um papel relevante nessa reviravolta corporativa: o Gartner estima que em 2012 as compras de tablets por empresas atingirá 13 milhões de unidades e vai mais do que triplicar até 2016, para atingir 53 milhões de unidades. Nessa onda móvel, a consultoria elenca as 10 tecnologias que vão reinar em 2013. Saiba quais são elas:

1. Dispositivos móveis

No próximo ano, os telefones celulares vão ultrapassar os PCs como dispositivo mais comum de acesso à web em todo o mundo.

Alguns departamentos de TI só precisam suportar dispositivos móveis para profissionais específicos cujas funções exigem mobilidade. Os demais permanecem nos tradicionais computadores. Mas, acrescenta o Gartner, a ascensão de dispositivos móveis sinaliza o fim do Windows como plataforma corporativa única.

“Até 2015, os embarques de tablets vão atingir cerca de 50% dos embarques de laptop e o Windows provavelmente ficará em terceiro lugar na preferência das pessoas, atrás do Android e do iOs, da Apple”, relata David Cearley, analista do Gartner em relatório.

2. Mudança de aplicativos nativos para aplicativos web como HTML5

O Gartner nota que os aplicativos nativos não vão desaparecer e “sempre oferecerão a melhor experiência ao usuário e recursos mais sofisticados.”

3. Nuvem pessoal substitui a noção de computador pessoal

A nuvem vai abrigar todos os aspectos da vida de uma pessoa, diz o Gartner. Por ser um modelo tão vasto e capaz de empacotar recursos infinitos “nenhuma plataforma, tecnologia ou vendedor vai dominá-lo”, indica o instituto de pesquisas. Isso também significa que TI terá de suportar quase tudo.

4. Internet das Coisas

Tudo vai conectar-se à internet, incluindo câmeras, microfones, realidade aumentada, edifícios e sensores embutidos em todos os lugares. Em muitos casos, ela já se faz presente. A Internet das Coisas vai conduzir novos produtos, como os baseados em uso seguro ou de políticas fiscais. Também levantará novas questões.

5. Cloud computing

Os departamentos de TI terão de criar “serviços em nuvem” para suportarem as demandas das diversas áreas

6. Big Data

Ánalise de dados ganha cada vez mais relevância nas empresas. Os projetos isolados são um problema a ser contornado.

7. Analytics

Considerada uma subtendência do big data. É importante porque é o próximo passo na análise dos dados: prever o que pode acontecer.

8. Computação em memória (in-memory)
Computação em memória permite que as atividades que consomem horas para serem executadas levem minutos ou apenas segundos. De alta relevância, vai se tornar uma plataforma dominante em 24 meses, uma vez que cada vez mais os usuários buscam consultas em tempo real.

9. Appliances virtuais integrados à ecossistemas

Eles não vão acabar com aparelhos físicos e suas vantagens de segurança, mas dispositivos virtuais vão ganhar um lugar de destaque nas operações de TI.

10. Lojas corporativas de aplicativos

Lojas empresariais de aplicativos vão transformar os departamentos de TI em gerentes de mercado. Também serão o espaço para encontrar tudo o que o usuário precisa para aprimorar seu trabalho.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos