+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

Discriminação ainda atrapalha empreendedor negro, diz BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) está de olho em uma parcela de empreendedores que cresceu muito nos últimos anos: os donos de negócio afro-brasileiros. Afinal, a maioria dos empreendedores brasileiros já é negra — e o país tem muito a ganhar se investir mais nessa parcela de empresários.

Entre 2003 e 2013, o número de negros à frente de empresas no Brasil cresceu 27%. Nesse mesmo período, o número de pessoas brancas que possuem uma empresa teve uma redução de 2%, segundo estudo do Sebrae.

Mesmo assim, os empreendedores afrodescendentes enfrentam barreiras adicionais na hora de abrir uma empresa. Por exemplo: só 9% dos pretos e pardos que são donos de negócio conseguem contratar funcionários — enquanto 22% dos empreendedores brancos são empregadores.

O menor grau de desenvolvimento das empresas reflete também em menos dinheiro na conta no fim do mês: em 2013, o rendimento médio mensal dos empreendedores pretos e pardos foi de 1.246 reais, contra 2.627 reais entre brancos.

Para Luana Garcia, especialista em Desenvolvimento Social da Divisão de Gênero e Diversidade do BID, tais discrepâncias se devem a “arranjos discriminatórios históricos”. “Queremos reverter esse quadro discriminatório e promover o crescimento dos empreendimentos de afro-brasileiros”, afirmou em entrevista a EXAME.com, por e-mail.

Garcia é brasileira, mas fica em Washington para coordenar o Inova Capital: um programa do BID para apoiar empreendedores afro-brasileiros e que tem como meta investir 500 mil dólares (cerca de 1,6 milhão de reais) até 2017.

A ideia do Inova Capital é não apenas ajudar a criar “um segmento afro-empreendedor”, mas também entender o consumo dessa parcela da população.

Leia a seguir a entrevista com a especialista do BID, e entenda por que investir nos empreendedores afro-brasileiros pode ajudar a levantar o país.

EXAME.com — Por que o BID decidiu focar especificamente nos empreendedores afro-brasileiros?

Luana Garcia  O acesso a financiamento e a capacidade de gerir um negócio sem dúvida persistem como importantes barreiras ao crescimento de todas as empresas. Contudo, os empreendedores afrodescendentes muitas vezes enfrentam barreiras adicionais, em decorrência de arranjos discriminatórios históricos.

Em uma pesquisa realizada pelo PROCON-SP sobre discriminação racial nas relações de consumo, de 2010, a maioria dos entrevistados reportou haver presenciado atitude discriminatória de cor ou raça no momento da compra de um produto ou na contratação de um serviço. Os bancos e instituições financeiras estavam entre as três primeiras onde os consumidores mais se sentiam discriminados, depois das lojas e shopping centers.

Enquanto isso, os afrodescendentes representam 68 milhões de consumidores e 11 milhões de empreendedores brasileiros. Do total de donos de negócios no Brasil, 52% são negros. Queremos reverter esse quadro discriminatório e promover o crescimento dos empreendimentos de afro-brasileiros.

EXAME.com — Como o empreendedorismo pode ajudar a superar essa discriminação histórica?

(…) promover o empreendedorismo afro-brasileiro é fundamental para a sustentabilidade desse desenvolvimento [econômico e social]Luana Garcia, especialista do BID

Luana Garcia  O empreendedorismo é uma alavanca muito importante no desenvolvimento social e econômico de qualquer sociedade, bem como para o crescimento profissional e social do próprio empreendedor. Nós, do BID, acreditamos que promover o empreendedorismo afro-brasileiro é fundamental para a sustentabilidade desse desenvolvimento.

Esses empresários também em geral estão mais familiarizados com os problemas centrais de zonas mais vulneráveis das cidades, suas circunstâncias e seus mercados. E as grandes corporações e as agências governamentais de fomento têm incentivado empresas que possam impulsionar o desenvolvimento desses segmentos sociais. Um amplo capital está disponível para financiar empresas inovadoras neste espaço.

Além disso, para os investidores, investir em afro-empreendedores oferece uma opção de diversificação da carteira de investimentos com retorno econômico e impacto social.

EXAME.com — De que forma o BID investirá os 500 mil dólares destinados ao Inova Capital?

Luana Garcia — Os recursos são direcionados para duas vertentes: apoiar e criar um modelo de segmento afro-empreendedor e entender o consumidor negro.

A primeira vertente envolve a criação de uma estratégia de prospecção de afro-empreendedores de alto potencial de crescimento e impacto econômico e social. Teremos, por exemplo, o desenvolvimento de uma metodologia de capacitação empresarial integral, inclusiva e com pertinência cultural.

Outro ponto será a criação de ferramentas para aumentar a capacidade de pitching, oratória e de apresentação resumida ou storytelling de negócios para investidores. E teremos ainda o aumento da visibilidade desses empreendedores, o intercâmbio e o acesso a redes empresariais, aceleradoras e incubadoras, feiras e investidores nacionais e internacionais.

Nós já desenvolvemos um piloto intensivo no Inova Capital de capacitação e coaching com 30 afro-empreendedores, realizado no primeiro semestre deste ano. Também organizamos uma competição de negócios com sete afro-empreendedores, realizada em parceria com a Anjos do Brasil, em agosto.

Paralelamente, o BID está conduzindo um levantamento no país sobre o mercado afro-brasileiro, que se estenderá até 2017. O estudo envolve preferências de marcas, comportamento do consumidor e publicidade nas redes sociais, por exemplo.

EXAME.com — Em termos de redução da desigualdade, quais resultados vocês já viram após esse piloto intensivo e essa competição? Haverá uma nova seleção?

[O Inova Capital] afeta todo o empreendedorismo afro-brasileiro, colocando-o em evidência e criando um modelo de apoio que pode e deve ser escaladoLuana Garcia, especialista do BID

Luana Garcia — Ainda é cedo para falarmos de resultados em redução de desigualdade, mas o programa já deu os primeiros passos nesse sentido.

Na competição de negócios de empreendedores afrodescendentes, que puderam apresentar suas pitchespara investidores, quatro receberam reconhecimentos pelo programa por seu impacto social e seu potencial de atrair investimentos. Os três primeiros colocados fazem parte da plataforma Anjos do Brasil, que é uma verdadeira vitrine para quem busca investimento.

Mas vale lembrar que este programa beneficia não só os empreendedores desta primeira edição. Indiretamente, afeta todo o empreendedorismo afro-brasileiro, colocando-o em evidência e criando um modelo de apoio que pode e deve ser escalado.

Ainda não temos data prevista para a próxima versão, mas estamos confiantes de que o investimento do BID demonstrou ao mercado que efetivamente existem empreendedores afro-brasileiros de alto potencial – o que falta são oportunidades para que eles possam melhorar suas habilidades de gestão, de apresentação e de formação de redes de contatos para fazer seu negócio crescer e para acessar capital.

EXAME.com — Como o BID enxerga o ecossistema empreendedor brasileiro, de forma geral? Há novos planos de atuação?

Luana Garcia  O Brasil possui um dos ecossistemas de negócios mais dinâmicos da região. De acordo com o Sebrae, três em cada dez brasileiros adultos possuem uma empresa, ou estão envolvidos com a criação de um negócio próprio.

Ou seja, há um vasto ecossistema que deve ser incentivado: o BID entende que o setor privado é ator chave do desenvolvimento do país.

Estamos trabalhando estreitamente com os governos para apoiar o fortalecimento desse ecossistema de inovação e empreendimento. Isso inclui criar programas de capacitação, inserir benefícios fiscais para incentivar a inovação ne implementar marcos legais para agilizar investimento e criação de empresas e também para a proteção de propriedade intelectual. Buscamos tornar o ambiente mais propício para que surjam mais soluções aos desafios do desenvolvimento local e do internacional.

Fonte: Exame

That paradigm is changing however due to the sheer volume of information that’s now available. Now, that’s what the average tour player does. They may not always be easy, but that only makes your choices all the more important.According to Charles Haley, you have to try and keep yourself together for as long as you wholesale nfl jerseys can. Get involved with coaching as soon as possible. I guess it’s a matter of luck, you can find someone who employs you or not, but the amount of close minded people is too high. 5. Every day I have to do a better job. Tommy hilfiger outlet. Facebook’s search tool cheap fake oakleys also will allow people to find people who worked at a specific company one of the advantages of LinkedIn Corp.’s online service for professional networking.. And, though some say drafting NT Dontari Poe (Memphis) was a reach at number 11 overall, his formidable size will quickly help shore up the run defense.. Geography influences airfares considerably. Workplace potlucks are super fun you get to dig into a number of scrumptious dishes all at once. You’re going to die at 26.'”. “I want to thank my family, friends, coaches and teammates for standing by me during a difficult time,” Winston said in a statement released through his attorney shortly after it was announced that he would not be facing charges.” I also want to thank the State Attorney’s Office for examining all of the facts and reaching a decision in a conclusive manner. Though it wasn’t all sour grapes for Tesla while Edison invented some pretty common place items like light bulbs and record players, Tesla excelled in awesome invention like robots, wireless electricity and death rays. Stress how your interest in that hobby has changed or improved your life. If using the HDMI cable, plug one end into the HDMI output on the computer and cheap nfl jerseys wholesale the other end into an open HDMI input on the rear of the HDTV. 4. Children with neurofibromatosis type 1 (NF1) are predisposed to juvenile myelomonocytic leukemia (JMML), and heterozygous mice containing a disruption of the homologue of NF1 (Nf1) spontaneously develop a myeloid disorder that resembles JMML. Although open and willing to talk about most things, Caitlyn is off limits, as is dating, although Kourtney’s name was, for a nanosecond, linked with Justin Bieber. I am proud to have played over 700 games for Liverpool, many of which as captain, and to have played my part in helping the club to bring major honours back to cheap jerseys wholesale Anfield, none more so http://www.cheap-jordansukshoeshopps3.com than that famous night in Istanbul..

Próximos Eventos