+55 (61) 9 7400-2446

Notícias

Campus Party quer ser espaço de inovação

A Campus Party deste ano (que acontece de 6 a 12 de fevereiro) está diferente. Em sua segunda edição sob o comando do gaúcho Mario Teza, o maior encontro de cultura digital do País pisa mais forte no campo do empreendedorismo, sob o conceito de “open innovation” ou “inovação aberta e colaborativa”, proposto em 2003 pelo professor americano Henry Chesbrough.

“Vamos colocar a inteligência da Campus a serviço de empresas e governo”, disse Teza ao Link, afirmando também que o conteúdo será multidisciplinar. “As áreas devem interagir mais.”
O evento, que neste ano ocupará o Anhembi pela primeira vez, chega à sua maturidade, segundo o diretor. “O espaço é genial”, opina lembrando a dimensão do evento que coordena. “A ‘Rio +20’ é menor do que a gente! O que a gente faz é muito grande, mas estou otimista.”

A edição passada teve problemas. Filas enormes, muito barulho e sucessivas quedas de energia. Para este ano, há geradores “para iluminar São Paulo”, diz Teza. Além disso, quase metade do público pediu para receber suas credenciais em casa, o que deve diminuir o tradicional caos do primeiro dia.

Teza disse que o diálogo entre público, Campus Party e empresas funcionou de maneira mais efetiva agora e foi possível implementar mais sugestões na estrutura e programação, que, aliás, segundo Teza, promete ser “a melhor em cinco anos”.

Entre os participantes nacionais estão as crias da web Rafinha Bastos, Mauricio Cid (do blog Não Salvo), PC Siqueira, Rodrigo Fernandes (Jacaré Banguela), Rosana Hermann (Querido Leitor), Felipe Neto, Jovem Nerd e os músicos Emicida, MV Bill e Gaby Amarantos (a “Beyoncé do Pará”).

Já os convidados internacionais são Alex Bellos, jornalista e autor do livro Alex no País dos Números(Companhia das Letras); Nick Denton, CEO do site de blogs Gawker; Michio Kaku, um dos grandes nomes da física teórica no mundo; Sugata Mitra, professor visitante do MIT e pesquisador das relações entre educação e tecnologia; Julien Fourgeaud, diretor de produtos da Rovio (criadora do game Angry Birds); e, mais uma vez, o diretor da Wikimedia Foundation, Kul Wadhwa, que volta especialmente para falar sobre as leis antipirataria em pauta.

Fonte: O Estado de São Paulo

Próximos Eventos