Destaques

Brasil investiu quase R$ 80 bilhões em P&D em 2016, diz MCTIC

No ano de 2016, o volume de investimento em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no Brasil chegou a R$ 79,2 bilhões, o que correspondeu a 1,27% do Produto Interno Bruto (PIB). Desse total, a maior parte dos gastos (52,4%) foi feita pelo setor público. Os dados constam na edição 2018 dos Indicadores Nacionais de Ciência Tecnologia e Inovação, lançada nesta sexta-feira, 26 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

O documento é um levantamento de dados coletados junto ao governo federal, governos estaduais e iniciativa privada, que permitem uma visão global do sistema brasileiro do segmento. Segundo informações do MCTIC, o levantamento aponta uma leve redução do percentual do PIB dedicado a atividades de pesquisa e desenvolvimento. Enquanto em 2015 os investimentos somaram R$ 87,1 bilhões (1,34% do total PIB), no ano de 2016 eles totalizaram R$ 79,2 bilhões, o correspondente a 1,27% do PIB.

De acordo com o ministério, os indicadores abrangem temas como volume de recursos aplicados no setor; dados sobre a capacitação e ocupação de recursos humanos; quantidade de bolsas de formação concedidas; e dados sobre produção científica e patentes depositadas.

Segundo o coordenador-geral de Gestão, Inovação e Indicadores do MCTIC, Fernando Coelho, o dado é reflexo da conjuntura econômica. “Como 2016 foi um ano de profunda recessão, era esperada uma queda nos investimentos, o que acabou se confirmando”, disse.

“Foi um período muito conturbado, de retração orçamentária no país. Isso se refletiu nos dispêndios públicos em pesquisa e desenvolvimento, mas, sobretudo, nos investimentos das empresas no setor”, reforçou o coordenador de Indicadores e Informação do MCTIC, Roberto Colares.

Complexidade

Conforme o ministério, a defasagem de dois anos é comum em todos os outros países, em razão da complexidade de levantamento dos dados. Na comparação internacional, a publicação aponta que os investimentos do Brasil em pesquisa e desenvolvimento, levando em consideração o percentual do PIB empregado, são semelhantes aos de países como Rússia, Itália e Portugal.

A produção dos Indicadores Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação é um trabalho realizado anualmente pelo MCTIC. O objetivo é fornecer informações especializadas à comunidade científica, formuladores de políticas, legisladores, estudantes e sociedade. “Esses indicadores são fundamentais para a tomada de decisão em políticas públicas. São uma fonte de informação precisa e confiável para subsidiar os gestores”, reforçou Fernando Coelho.

A publicação também traz capítulos sobre recursos humanos nos setores público e empresarial; bolsas de formação; produção científica e patentes. O levantamento mostra, por exemplo, que o Brasil é responsável por produzir 2,51% dos artigos científicos indexados pela plataforma Scopus em nível mundial.

Além disso, há cerca de 200 mil pesquisadores cadastrados no Diretório dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e mais de 591 mil profissionais envolvidos em atividades de pesquisa e desenvolvimento em todo o país.

Fonte: Teletime

Próximos Eventos