Notícias

Brasil ganha destaque mundial no uso de SaaS

As empresas abraçaram o Software como Serviço (SaaS). Pesquisa do Gartner mostra que 71% da organizações vem utilizando esse modelo por menos de três anos. E aqui uma constatação importante: O Brasil teve o maior número de novos usuários. Entre as empresas entrevistadas, 27% resportaram que adotam o modelo por menos de um ano.

Como justificativa para a rápida adoção do SaaS, as empresas informam que o principal motor para o uso do modelo é a necessidade de adotar novas soluções ou a substituição das existentes. E os aportes tendem a crescer ainda mais. Isso porque o levantamento constatou que em todas as regiões – Estados Unidos, Europa, América do Sul e Ásia/Pacífico – 77% das empresas entrevistadas disseram que vão ampliar os gastos com projetos nessa área, enquanto 17% planejam manter os investimentos atuais com o modelo.

Mais de 80% das empresas entrevistados no Brasil e na Ásia/Pacífico planejam aumentar os investimentos com aplicações SaaS nos próximos dois anos. Os EUA e países europeus não ficam muito atrás. As companhaias norte-americanas, por exemplo, disseram que os gastos nessa área crescerão 73%. Entre as europeias, 71% têm intenção de ampliar as contratações de SaaS.

Para Charles Eschinger, vice-presidente de pesquisa do Gartner, o modelo on-demand de software está no mercado há mais de uma década, mas a sua adoção foi impulsionada nos últimos cinco anos, com a popularização da computação na nuvem. “As preocupações iniciais com segurança, tempo de resposta e disponibilidade de serviço diminuíram”.

Entre as aplicações de SaaS mais usadas estão os sistemas de gestão de relacionamento com clientes (CRM), Enterprise Content Management (ECM) e controle da cadeia de suprimentos (SCM). Essas aplicações antigas que rodam dentro de casa estão migrando para a nuvem.

“A decisão de implantar aplicativos corporativos baseados em SaaS depende muito da criticidade do negócio, bem como a geografia, agilidade das operaçõesos negócios e arquitetura da TI”, completa o executivo do Gartner.

o estudo da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), divulgado nesta quarta-feira, 28/11, ratifica o levantamento do Gartner. Documento sustenta que as ofertas de software como serviço (SaaS) abrem frentes para os países emergentes, assim como o big data – com a necessidade premente de avaliação da informação armazenada.

A receita projetada para SaaS é de US$ 33 bilhões em 2012, o que significa um crescimento de 57% em relação a 2011. Baseada em informações da Capgemini, a UNCTAD aponta o Brasil e a China como os países com a adoção mais rápida de computação na nuvem. As pequenas e médias empresas tendem para os serviços públicos de cloud. Já as grandes corporações, preferem as nuvens privadas.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos