Destaques

BASF inaugura seu primeiro centro de experiências científicas e digitais no Brasil

A BASF inaugurou oficialmente nesta quinta-feira, 28, em São Paulo, a sua primeira estrutura de cocriação e desenvolvimento de tecnologias no Brasil. Batizado de onono, o Centro de Experiências Científicas e Digitais funcionará no nono andar do edifício onde está o escritório central da empresa e tem como objetivo conectar e aproximar clientes, fornecedores, startups, colaboradores e universidades.

“Com este ambiente estamos nos aproximando ainda mais dos nossos clientes e gerando soluções que agreguem valor aos seus negócios”, comenta Manfredo Rübens, presidente da BASF para a América do Sul, acrescentando que o centro está aberto também para não clientes e para segmentos fora da atuação dos negócios da empresa.

Em total alinhamento com a estratégia global da BASF, onono é uma das iniciativas da companhia para realizar seu grande objetivo: criar química para um futuro sustentável. “Queremos crescer e liderar mundialmente a indústria química, com rentabilidade, criando valor para nossos clientes, sociedade e meio ambiente”, enfatiza Manfredo.

O centro vai ser liderado por Fabiano Sant’Ana, diretor de Digital da BASF na América do Sul, que terá o objetivo de catalisar inovações e agregar interesses de diferentes públicos para chegar a soluções de mercado. “A intenção é proporcionar um local voltado para a geração de negócios, fornecendo soluções digitais e sustentáveis além de conexões com todos os públicos interessados em novas oportunidades e troca de experiências”.

O onono também pretende fomentar a educação e troca de conhecimento de diferentes focos de mercado. “A Oracle, por exemplo, usou o espaço para realizar em um dia uma série de palestras de 20 minutos sobre diferentes tecnologias e aplicações, para equipes de colaboradores de diferentes áreas da empresa. Esses conteúdos são filmados e depois ficam à disposição para serem vistos na plataforma de streaming”, explica o executivo.

Inovação e cocriação

O centro foi projetado com uso tecnologia de ponta para laboratórios de pesquisa e testes de produtos, conectividade, telas de vídeo de alta resolução, estudo para filmagem, digitalização de processos e design e uma área para troca e produção de conhecimentos, design thinking, hackaton, etc.

Ele inclui também laboratórios de aplicação de produtos de home care e limpeza institucional e o de personal care, uma estrutura equipada para desenvolver soluções inovadoras e customizadas ao mercado local e realizar testes de performance. No laboratório sensorial climatizado é possível realizar testes instrumentais para diferentes tipos de pele e cabelos sensíveis em ambiente controlado. É nele, inclusive, que está instalado o primeiro equipamento do Brasil específico para avaliação de volume e frizz. O onono inclui ainda um salão de testes para profissionais. Os laboratórios estão conectados com centros de inovações da BASF em todo o mundo, possibilitando a troca de experiências e conteúdos em tempo real.

Esses recursos permitem que startups tenham acesso a equipamentos para testarem seus produtos, realizarem prova de conceito, etc, com apoio e mentoria de profissionais especializados nos segmentos.

Agrostart

Outro projeto de destaque de Basf com startups está o Agrostar, programa de aceleração criado em 2016. Atualmente mais de dez startups estão em aceleração, todas com o propósito de gerar otimização ao produtor rural, suportar a tomada de decisão e impactar positivamente o aumento de produtividade da lavoura. O projeto tem parceria com a Bosch.

Almir Araújo, líder da área de Agro Basf para América Latina, explica que nesses últimos 3 anos já foram apoiadas 420 startups no Chile, Colômbia, México e Brasil. Hoje tem 15 delas com projetos em andamento, como agricultura de precisão, gestão de lavoura, robótica, drones, projetos de economia compartilhada. A Basf trabalha com a Aceleradora ACE.

A Basf também tem uma plataforma de soluções digitais, Xarvio, para otimização de cultivos e digitalização da agricultura, que identifica doenças e pragas, plantas daninhas, insetos, etc.

Pegada de carbono

Para reforçar a proposta de que suas atividades de negócios têm impacto positivo na sociedade e no meio ambiente, além de implementar na prática sua estratégia de sustentabilidade, a BASF fará a compensação das emissões de carbono geradas pelo evento de inauguração do onono (cerca de 2,83 toneladas de CO2eq), apoiando a recuperação da Mata Atlântica a fim de combater as mudanças climáticas e conservar a natureza.

Para isso, conta com o suporte da Fundação Espaço ECO (FEE), OCIP criada e mantida pela BASF desde 2005 para atuar como consultoria para sustentabilidade, desenvolvendo projetos customizados para organizações medirem e compreenderem impactos ambientais, sociais e econômicos de seus produtos e processos.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos