Giro nos Estados

Unioeste recebe primeiros royalties com base na Lei da Inovação no PR

O Núcleo de Inovações Tecnológicas (NIT) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) acaba de receber os primeiros royalties em função de contrato de transferência e fornecimento de tecnologia assinado entre a universidade e a Empresa Vet Science Nutraceuticos Ltda, de Maringá. A instituição, de acordo com o contrato, recebe o valor correspondente a 1% do preço (bruto) de comercialização do produto tecnológico.

O coordenador geral do NIT, professor Camilo Freddy Mendoza Morejon, explica que o produto tecnológico transferido pela instituição e inserido no mercado sob o nome de Poultry SEC foi resultado do projeto inovador denominado “Controle do cascudinho dos aviários (Alphitobius diaperinus) por meio do uso de terra de diatomáceas”, coordenado pelo professor Luis Francisco Angeli Alves, do Laboratório de Biotecnologia Agrícola do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Unioeste/Campus de Cascavel.

Segundo o professor Luis Alves, o produto comercializado é uma inovação no mercado, tradicionalmente marcado pelo uso intensivo de inseticidas para o controle de insetos nos aviários. Trata-se de alternativa eficaz para uso nos aviários de frango de corte, com a vantagem de ser um produto seguro, ao contrário dos inseticidas químicos, pois não oferece riscos à saúde dos produtos, das aves e do consumidor final.

De acordo com Alves, o produto age fisicamente, desgastando o esqueleto externo do inseto, o que provoca excessiva perda de água e a consequente morte do mesmo. Desta forma, não há possibilidade de haver populações resistentes ao produto. Ressalta-se ainda que o produto tem a capacidade de absorver a umidade da cama de aviário, contribuindo para mantê-la seca, o que também ajuda a não sobrevivência e o não desenvolvimento de microrganismos patogênicos às aves e ao ser humano, como as enterobactérias, principalmente a Salmonella spp.

O projeto foi desenvolvido durante seis anos (2006-2012) por uma equipe formada, além do coordenador, também por alunos do curso de graduação em Ciências Biológicas e do Programa de Pós-Graduação em Conservação e Manejo de Recursos Naturais, ambos da Unioeste.

Segundo o professor Camilo Morejon, a Cláusula Quarta do contrato 003/2012 de transferência/fornecimento de tecnologia prevê que o pagamento deve ocorrer a partir da primeira venda, vinculado às quitações dos boletos ou documentos financeiros conforme prazo concedido no ato da venda, e será efetuado mensalmente, até o último dia útil do mês seguinte, durante a vigência do contrato.

A distribuição dos royalties, no âmbito da Unioeste, será realizado com base da Lei de Inovação, que prevê a participação dos pesquisadores, o laboratório e a universidade na proporção de um terço.

Morejon avalia que o NIT está dando cumprindo seu papel. “De modo geral a meta do NIT-Unioeste é a consolidação da inovação por meio da prospecção dos resultados da atividade intelectual com características inovadoras, da proteção intelectual, da transferência de tecnologia, do empreendedorismo por meio do incentivo para a criação de empresas juniores e incubadora de empresas está acontecendo de maneira satisfatória”, analisa.

Fonte: SETI-PR

Próximos Eventos