Giro nos Estados

Sergipe participa de discussão nacional sobre ciência, tecnologia e inovação

Sergipe esteve representado durante o Fórum Nacional do Consecti (Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência, Tecnologia & Inovação) e Confap (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa) e o Encontro Regional do Foprop Sul (Pró-reitores de Pesquisa da Região Sul), realizado em Gramado, no Rio Grande do Sul entre os dias 13 e 14 de setembro. O Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia de Sergipe, Saumíneo Nascimento e o presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa de Sergipe (Fapitec), José Ricardo Santana – que é também o vice-presidente Nacional do Confap – estiveram participando de discussões estratégicas sobre ciência, tecnologia e inovação.

Temas estratégicos como políticas integradas e valorização da ciência, tecnologia e inovação no Brasil, ao lado da preocupação com a retomada do nível de investimento no setor, marcaram a abertura do Fórum Nacional Consecti – Confap.  A atenção com esses temas permeou de maneira geral os discursos ouvidos durante a solenidade de abertura do evento, que reúne os secretários estaduais de Ciência, Tecnologia e Inovação, que compõem o Consecti, e os presidentes das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa, que formam o Confap.

O Secretário Executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antônio Elias, fez a abertura do evento e abordou a estratégia Nacional de CT&I.  Durante a solenidade ele falou sobre a tramitação do Projeto de Lei do novo código de Ciência e Tecnologia e anunciou que o orçamento da pasta para 2013 será de R$ 10,2 bilhões, o que representa um acréscimo de 15% em relação ao valor deste ano, que ficou em R$ 8,8 bilhões. Segundo ele, a decisão de ampliar o orçamento para a área de CT&I foi motivada pelo fato de a presidenta da República, Dilma Rousseff, considerar essa uma ação estrutural para o seu governo. “A agenda de CT&I representa o avanço do conhecimento no Brasil e que nos colocará certamente em outro patamar de inserção internacional”, destacou.

Durante o evento aconteceu o lançamento do novo programa da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) – o Tecnova – e a assinatura do acordo de cooperação sobre o Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação no Brasil, o TI Maior, que visa estimular a produção de software no Brasil. O Programa destina cerca de R$ 500 milhões para o setor no país. Já o Tecnova destinará R$ 190 milhões em recursos da Subvenção Econômica para aplicação em micro e pequenas empresas (faturamento anual até R$ 3,6 milhões), visando o desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos que agreguem valor aos negócios e ampliem seus diferenciais competitivos.

Participação de Sergipe

De acordo com o presidente da Fapitec, Ricardo Santana, o evento tratou das articulações para o desenvolvimento de uma política nacional de CT&I e da ampliação do orçamento do governo Federal para o setor. O secretário Saumíneo Nascimento, destacou que o fórum foi uma oportunidade para conhecer as novas fronteiras de captação de recursos para ciência e tecnologia, trocar experiências, informações e conhecimentos. “Agora vamos replicar as informações em Sergipe e uma primeira ação será convidar os empresários do setor de tecnologia da informação para uma apresentação do Programa TI Maior, inclusive, fiz contato com o Secretário Nacional de Tecnologia da Informação do Ministério da Ciência e Tecnologia, que se predispôs a estar em Sergipe debatendo o assunto com a classe empresarial”, declarou ao observar que a Sedetec vai conversar com o Sebrae-SE sobre o Tecnova, a fim de ativar, o mais rápido possível, a sua aplicação em Sergipe.

Para Saumíneo ficou evidente durante o fórum, o quanto o presidente da Fapitec, Ricardo Santana é respeitado e reconhecido entre os presidentes das Fundações de Apoio à Pesquisa. “Isso pelo seu conhecimento técnico e liderança no trato das questões das fundações de apoio à pesquisa do país”, afirmou o secretário ao destacar que o governador Marcelo Déda deu um grande impulso de recursos e apoio nas ações da Fapitec, sendo um dos pioneiros a aprovar uma lei Estadual de Ciência e Tecnologia.  “Só para destacar, são mais de 400 bolsistas que recebem apoio para pesquisa com recursos do Governo do Estado de Sergipe”, ressaltou Saumíneo Nascimento.

Fonte: Ascom – Sedetec – Sergipe

Próximos Eventos