Giro nos Estados

Secti Bahia intermedia reunião entre provedores de internet e agências de fomento

Viabilizar, através de financiamento, a instalação de infraestrutura de internet por fibra ótica para provedores dos 417 municípios baianos. O assunto foi pauta da reunião entre representantes da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), Banco do Nordeste, Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e provedores baianos. O encontro capitaneado pelo secretário de CTI, José Vivaldo Mendonça, aconteceu na tarde desta terça-feira (6), na sede do órgão.
Todos os municípios baianos têm provedores, a média é de três por cidade, com exceção dos grandes centros, como Salvador e Feira de Santana. De acordo com o secretário, a proposta é utilizar os mecanismos de financiamento que já estão consolidados e pautar novas ideias ao conselho da Sudene. “Ao criar uma comunicação mais direcionada, fortalecemos a iniciativa e certamente criamos condições de ampliar o reconhecimento da cadeia, sendo referência para a Bahia, repercutindo para o Nordeste e para todo o país”.
O superintendente da SUDENE, Marcelo Neves, esclarece que financiamento para a área de ciência e tecnologia já existe, mas voltado à área de inovação, desenvolvimento de software e hardware, e aqui discutimos sobre a infraestrutura, a forma de distribuição da banda larga para o interior do estado. “Para a Sudene é muito importante poder levar internet de qualidade para o nordeste brasileiro, que atualmente detém a maior população de zona rural do país, ou seja de pequenas e médias cidades. Desta reunião nasce uma ideia que pode se configurar em uma nova linha de financiamento para estas atividades”, completou.
Ao ser questionado sobre a possibilidade de atendimento ao pleito dos provedores de internet, o superintendente do Banco do Nordeste, José Gomes da Costa, disse ser possível o financiamento para aquisição de equipamentos e para capital de giro. “É uma atividade que se encaixa com os objetivos do Banco, pois, além do crédito se destinar à geração de emprego e renda, ele vai inserir as pessoas que não tem acesso à internet e à tecnologia da informação. É um programa de desenvolvimento, geração de emprego e renda e inclusão digital para os clientes desses provedores, principalmente os usuários mais periféricos, distantes do acesso à internet de telefonia”.
No próximo encontro, dia 26, quando a expectativa é reunir cerca de 400 provedores baianos, linhas de crédito serão apresentadas pelo Banco do Nordeste e pela Desenbahia com as melhores formas de viabilizar a instalação de internet por fibra ótica nos 417 municípios
Fonte: SECTI BA

Próximos Eventos