+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Secretário fala sobre investimentos e resultados em Rondônia

O secretário estadual de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), George Braga, foi o entrevistado desta quinta-feira (05) do programa ‘A Voz do Povo’, na rádio Cultura FM 107,9 apresentado pelo jornalista e advogado Arimar Souza de Sá.

Ele abriu a entrevista falando sobre a inauguração da usina de calcário, que vai permitir a correção do solo e o aumento da produtividade agropecuária em Rondônia.

“Isso vai aumentar a nossa produção e consequentemente aquecer a nossa economia e gerar mais emprego e renda. Será um avanço muito grande, um divisor de águas”, afirmou.

Ao ser questionado sobre a valorização do servidor público na atual gestão, o secretário afirmou que o “Governo Confúcio Moura foi a gestão que fez as maiores correções salariais ao servidor público, em todas as áreas. Por exemplo, um agente penitenciário, em 2011, ganhava pouco mais de R$ 900 e hoje chega a R$ 2.000 mensais. Há uma valorização sim dos servidores, embora tenhamos limitações”, destacou.

Ele disse que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) estabelece 46,5% como limite de gastos com pessoal. “Estamos dentro do limite prudencial e fazemos ajustes pra manter as nossas contas equilibradas. O Estado, neste ano, não poderá fazer o chamamento de aprovados em concurso público e os que forem possíveis, vamos prorrogar”, alertou.

Segundo ele, as finanças estaduais sofreram um duro baque com a queda na arrecadação, diminuição dos repasses estaduais e a decretação de estado de calamidade, em razão da cheia histórica. “Isso afetou as nossas receitas e temos que ter prudência para não desequilibrar as contas do tesouro estadual”, observou.

George Braga disse que com a queda nas receitas, o Governo precisou extinguir cargos, secretarias e diminuir custos e gastos. “Isso representou mais de R$ 100 milhões por ano de economia ao Estado”, observou.

Arimar questionou sobre a aplicação dos recursos do Pidise, investimento através do BNDES, no valor de R$ 440 milhões. “Todo o processo foi aprovado pela Assembleia e outros órgãos. Esse recurso esta sendo investido na saúde, na educação e segurança. Por exemplo, o Hospital de Urgência e Emergência, está sendo erguido com dinheiro do Pidise, da ordem de R$ 44 milhões”, destacou.

Na Segurança, segundo ele, os recursos do Pidise são investidos na construção de Unidades Integradas de Segurança Pública (Unisp) e em outros benefícios. Já a Educação vai receber investimentos para a ampliação das unidades de Escolas Integral.

O secretário destacou que em Porto Velho, o Governo está construindo 150 quilômetros de asfalto urbano, incluindo a rua da Beira; as obras do teatro estão em fase de conclusão, o ginásio Claudio Coutinho será totalmente reformado; o Novo Espaço Alternativo em obras; construção de 8.000 mil casas populares e a nova Policlínica entregue.

Fonte: SEPOG-RO

Próximos Eventos