+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Secretaria do RJ prepara licitação para dar início às obras do campus da Uezo

O secretário de estado de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, assinou, nesta terça-feira (4/06), a descentralização de recursos da ordem de R$ 10 milhões da Fundação Centro Universitário da Zona Oeste (Uezo) para a empresa de Obras Públicas (Emop). Com isso, o caminho está liberado para o lançamento do edital de licitação que escolherá a empresa que vai executar o projeto feito pelo escritório do arquiteto Paulo Casé.

Os R$ 10 milhões serão investidos na primeira etapa do novo campus, que engloba a contsrução dos laboratórios,
considerados prioridade, e do prédio da pró-reitoria. Um dos laboratórios a serem construídos nessa primeira etapa, é o de Tecnologia Naval e Offshore, uma parceria com o Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, que investirá R$ 1 milhão na montagem e nos equipamentos. Neste laboratório os alunos do curso de Tecnologia em Construção Naval terão atividades voltadas para a manutenção e reparos de embarcações e estruturas offshore, com a simulação de estaleiros, em pequena escala.

De acordo com o coordenador do curso de Tecnologia em Construção Naval, Carlos Alberto Martins Ferreira, o trabalho neste laboratório terá foco nas áreas de ensaios mecânicos em materiais metálicos e compósitos utilizados nos setores de corrosão, sistemas de proteção e ensaios não destrutivos. O projeto total, que prevê a construção de 16 mil m², está orçado em R$ 40 milhões. O terreno onde será erguido o campus da Uezo fica às margens da Avenida Brasil, na altura do número 45.825, no distrito industrial de Campo Grande. Com o novo campus, o número de alunos deve passar dos atuais 1.900 para 6 mil.

A Uezo é a única universidade tecnológica do Estado e tem por finalidade o ensino, pesquisa e extensão, visando formar profissionais no âmbito da educação tecnológica, em nível superior, para atender à demanda do parque industrial fluminense e dos diversos setores da economia. O principal objetivo é integrar o trabalho acadêmico com a inovação tecnológica, através da pesquisa aplicada ou seja, a transformação direta dos estudos em novos produtos ou aperfeiçoando os já existentes.

Fonte: Sect-RJ

Próximos Eventos