+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia começa a estruturar sistema de fomento às incubadoras de empresas

Secretário Paulo Câmera se reúne nesta quinta-feira com executivos de fundação catarinense para acertar detalhes do trabalho

O sistema estadual de incubação de empresas de base tecnológica começa a ganhar forma com a contratação, pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), da Fundação CERTI para realizar a implantação e operação assistida da Incubadora do Tecnocentro do Parque Tecnológico e elaboração do plano operacional para a estruturação do sistema estadual de incubação. O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Paulo Câmera, se reúne nesta quinta-feira (12) e sexta (13), na sede da SECTI, com executivos da CERTI para definir as estratégias de trabalho.

A ideia é que seja implantado na Bahia um modelo similar ao de Santa Catarina, que inclui não só a operação da incubadora e suporte às empresas, mas estrutura uma rede de mecanismos e programas que possibilita a geração de empreendimentos inovadores. A base do modelo catarinense, denominado Celta, é o “Pentagrama de Inovação”, no qual os empreendimentos são desenvolvidos a partir de cinco eixos: empreendedor, tecnologia, mercado, capital e gestão. Desde que foi criado, o Celta já graduou 70 empresas, que geram um faturamento anual de R$ 1,4 bilhão e 6.000 empregos diretos, além de mais de R$ 300 milhões em impostos. Atualmente, Florianópolis conta com mais de 60 empresas incubadas no seu Parque.

Os resultados gerados pelo Modelo Celta de Incubação fizeram com que a incubadora tivesse um papel importante na transformação econômica do município de Florianópolis e de toda a região, conhecida como Tecnópolis.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Paulo Câmera, lembra que nove empresas já estão instaladas no Tecnocentro do Parque Tecnológico e que o espaço tem capacidade física para abrigar 22 empresas que se candidatem ao segundo edital público, previsto para este mês. “A Política Estadual de Incubação envolve não só o apoio logístico e de infraestrutura, mas capacitação constante para garantir a sobrevivência desses empreendimentos”, destaca o secretário, lembrando que além de Salvador serão implantadas incubadoras em polos estratégicos do estado que comportem empresas dentro do perfil exigido para esse tipo de empreendimento. As novas incubadoras de base tecnológica serão instaladas em Ilhéus, Itabuna, Vitória da Conquista, Feira de Santana e Camaçari.

O que se espera é uma mudança no cenário atual de incubação de empresas, com a implantação de cinco novas incubadoras, acelerando assim o processo de criação de micro e pequenas empresas com elevado conteúdo tecnológico de seus produtos, processos e serviços.

Fonte: Ascom –  Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia

Próximos Eventos