+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

São Paulo promove seminário Fontes de Financiamento e Movimento pela Inovação

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (SDECTI) promoveu nesta quarta-feira, 23 de março, o seminário Fontes de Financiamento e o Movimento pela Inovação, com o objetivo de apresentar as principais instituições públicas que oferecem recursos financeiros para empresas e ambientes de inovação, como os parques tecnológicos. Organizado pela Subsecretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado, o evento foi realizado na sede da Pasta, localizada na região oeste da capital paulista, e reuniu pesquisadores, gestores, empreendedores e representantes dos parques tecnológicos que integram o Sistema Paulista de Ambientes de Inovação (Spai).

Na ocasião, o chefe de gabinete da SDECTI, Maurício Juvenal, agradeceu a presença de todos e ressaltou a importância da ação para estimular a tecnologia em todo o Estado de São Paulo. “Quando o poder público financia a inovação ele otimiza o bom uso do capital. Ao fazer esse processo ele agrega valor econômico e social a ação pública”, afirmou.

Para a subsecretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Ana Abreu, atual cenário apresenta oportunidades para pesquisadores e empresários (Alex Santos/SDECTI)Para a subsecretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Ana Abreu, o atual cenário apresenta oportunidades para pesquisadores e empresários. “Mesmo com a economia estagnada, existe a possibilidade para captação de projetos. Por isso é importante reunir lideranças para debater e apresentar os instrumentos de financiamento. A saída para crise vem da inovação”, esclareceu.

A palestra de abertura foi ministrada pelo superintendente de Negócios e Operações da Desenvolve SP, Eduardo Saggiorato, que mostrou o crescimento dos atendimentos realizados pela instituição. “A Agência de Desenvolvimento Paulista possui linhas voltadas para projetos tecnológicos e a conversa com a subsecretária Ana foi importante para diminuir a burocracia nos processos de inovação”, falou.

Em seguida, o coordenador adjunto da Área de Pesquisa para Inovação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapesp), Fábio Kon, exibiu as linhas de apoio voltadas para micro, pequenas e médias. “Além do Programa de Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe), a Fundação oferece o Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (Pite), que também pode ser aplicado para empresas estrangeiras, estimulando a troca de conhecimento”, explicou.

O gerente do Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados da Fundação de Estudos e Projetos (Finep), Marcelo Camargo, expôs o trabalho desenvolvido na entidade para diminuir a assimetria da informação. “Não existia troca base de dados com parceiros e hoje atuamos para mudar essa situação e, dessa forma, beneficiar todos os habitats inovadores, facilitando o financiamento”, disse.

Após rápidas palavras, o chefe do Departamento de Suporte e Controle Operacional do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Edson Moret, deixou a apresentação a cargo da economista Luciana Surliuga, que anunciou em primeira mão um novo produto da instituição. “Em abril, vamos lançar o BNDES Soluções Tecnológicas, que vai financiar serviços de tecnologia e know-howoferecidos por universidades, instituições e empresas cadastradas no banco. O interessante é que esse produto não tem orçamento pré-definido, então os recursos serão disponibilizados conforme a demanda”, frisou.

O assessor da diretoria da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) Fábio Stallivieri fez uma apresentação da instituição. “A Embrapii é uma organização social que surgiu em meados de 2014 para colaborar com o uso de recursos contínuos para projetos de inovação de empresas, além de permitir maior agilidade e flexibilidade na condução deles. Atuamos em parceria com institutos de pesquisas e universidades em todo o País”, relatou

A conselheira Econômica do Escritório Comercial da Embaixada da Espanha em São Paulo, Ana Fornells de Frutos, encerrou o ciclo de palestras exibindo projetos voltados para inovação, incluindo um encontro de parques tecnológicos e start-ups. “A possibilidade de fazer essa apresentação é muito importante para fortalecer o intercâmbio entre paulistas e espanhóis”, declarou. No final, todos os palestrantes se reuniram no palco e esclareceram as questões e as dúvidas dos presentes.

Fonte: SDCT-SP

Próximos Eventos