+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Santa Catarina sobe em ranking nacional de gestão e competitividade

Na 3ª edição do Ranking de Gestão e Competitividade dos Estados Brasileiros, divulgado no último fim de semana, Santa Catarina desponta com nota geral de 61,9, um crescimento de 18% em relação ao primeiro levantamento, realizado em 2011. De acordo com a secretária do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Lucia Dellagnelo, esta ascensão é fruto do trabalho que vem sendo realizado pelo Governo do Estado. “Desde 2012, estamos monitorando os indicadores e investindo para melhorar a posição de Santa Catarina”, ressaltou.

A análise é feita pela Unidade de Inteligência do grupo inglês Economist, em parceria com o Centro de Liderança Pública (CLP). O objetivo é auxiliar os administradores públicos para que promovam as reformas necessárias, visando atrair investimentos estrangeiros e nacionais. São 26 tópicos que abrangem ambientes político e econômico, regime tributário, políticas de investimento estrangeiro, recursos humanos, infraestrutura, inovação e sustentabilidade.

“Em 2011, a avaliação do Estado no quesito sustentabilidade era de 81,3. Já em 2013 evoluímos para 93,8”, destaca a secretária da SDS. Santa Catarina subiu, também, na categoria Ambiente Econômico. Na 1ª edição do ranking, configurava a décima posição e hoje, o Estado saltou para a terceira. “Tivemos um crescimento significativo, ainda, em Inovação, subindo uma colocação”, lembra Lucia.

Em comparação aos outros Estados na avaliação total, Santa Catarina aparece em quinto lugar, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul e ultrapassando Minas Gerais.

Gestão Municipal – Uma das ações da SDS que visa estimular o desenvolvimento socioeconômico é o programa Gestão Municipal para a Nova Economia. Realizado em parceria com o CLP, participam do projeto sete municípios: Araquari, Garuva, Gravatal, Itajaí, Jaraguá do Sul, Santo Amaro da Imperatriz e São Francisco do Sul.

O resultado esperado para estes municípios é aumentar a capacidade de investimento a partir de economia de despesas e incremento de receitas em R$ 43,5 milhões. Os gestores destas cidades participaram de cursos de Fundamentos de Liderança Pública, Negociação e Gestão de Conflitos e Liderando Equipes de Alta Performance.

A etapa de foco no equilíbrio fiscal foi concluída, após o planejamento e preparação de dados, e com a definição e consolidação das metas para cada município. Os sete prefeitos fizeram, ainda, dez sessões de coaching e outras dez de mentoring, que contribuem para o autoconhecimento e desenvolvimento de competências comportamentais, profissionais e habilidades.

Próximos Eventos