Giro nos Estados

Quase 20 mil pessoas visitam cúpula do Planetário de Brasília

Em menos de dois meses após a reinauguração, o Planetário de Brasília recebeu os olhares de 19.260 pessoas na cúpula de projeção. No próximo dia 15 de março, o monumento completará 40 anos de aniversário. Na data, será anunciada a nova programação de atividades do espaço público de divulgação da ciência, cultura e entretenimento para 2014.

Segundo a administração do Planetário de Brasília, desde a reinauguração, em 11 de dezembro do ano passado, 16.700 pessoas adquiriram ingressos para as sessões para o público aberto na cúpula de projeção. Outras 2.560 participaram de sessões especiais sem cobrança do ingresso, a exemplo das sessões agendadas para escolas e instituições, bem como situações extraordinárias. Para atender a demanda, foram abertas sessões extras em, praticamente, todos os dias de visitação.

Nesta fase inicial, o ingresso das sessões para o público aberto equivale a um quilo de alimento não perecível por pessoa, sendo que crianças até três anos acompanhadas pelos responsáveis não precisam pagar. Toda a arrecadação é destinada para apoiar programas sociais. E neste ponto, a solidariedade da população do Distrito Federal fala em alto e bom som por números. A arrecadação de alimentos superou a marca de 18.100 quilos, ficando acima do público sessões abertas. Muitos visitantes trouxeram mais de um quilo de alimento por pessoa e diversas instituições trouxeram o quilo de alimento por cada participante.

Nova programação – A gestão do monumento está sob a gestão da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI). “Queremos que o Planetário de Brasília se consolide como um centro de referência para os ensinos de ciência, astronomia, eventos e palestras. Por isso, planejamos aproveitar o aniversário de 40 anos do planetário, dia 15 de março, para anunciar uma nova programação bem robusta para 2014. E teremos um intenso ciclo de atividades nessa semana”, disse o secretário Glauco Rojas.

A proposta é apresentar as novas sessões de exibição na cúpula de projeção, oficinas, palestras e exposições para a difusão da ciência e da astronomia no espaço público. Nesse sentido, a pasta trabalha na elaboração do novo conteúdo em parceria com diversas instituições ligadas à astronomia no DF, a exemplo do Clube de Astronomia de Brasília.

Reinvenção – “A expectativa é para que o planetário continue a se reinventar. Assim será possível criar um público cativo que passe de geração para geração”, comentou o presidente do Clube de Astronomia de Brasília, Ricardo Melo. Segundo o especialista, o monumento possui vocação pedagógica, da mesma forma como pode ser um instrumento de atração de novos talentos para a carreira científica.

O doutor em física da Universidade de Brasília (UnB) e coordenador do projeto Escola nas Estrelas, Paulo Eduardo de Brito, avalia positivamente o desempenho de público inicial do monumento. “Vejo com bons olhos em termos de público. Visitei nestas férias um grande planetário fora do DF. E lá não tinha 10% da movimentação que vemos no Planetário de Brasília”, contou.

Organização – A autônoma Iolanda Alves, 34 anos, saiu da cúpula de projeção de sorriso aberto. Para ela, o Planetário de Brasília pode se tornar tão importante para o DF como o Memorial JK, a Catedral de Brasília e outros grandes monumentos brasilienses. “É um monumento incrível e achei tudo muito organizado, muito limpo, as pessoas recebem os visitantes com muito carinho e atenção. Imagino que os alimentos sejam para doação. Considero isso uma iniciativa muito bonita”, afirmou.

Fonte: SECT-DF

Próximos Eventos