Giro nos Estados

Projetos resgatam cultura tradicional de tratamento de doenças com ervas medicinais no Amazonas

Tradicional na Amazônia, a utilização de remédios caseiros a partir de ervas medicinais é uma cultura enraizada nos hábitos familiares dos moradores da região. Quem nunca se sentiu melhor do estômago após um chá de boldo, ou sentiu-se mais calmo com um chá de camomila? Esse hábito foi objeto de estudo da pesquisa ‘Plantas e Ervas Medicinais no Ramal do Brasileirinho’.

O estudo, que recebeu incentivos do Governo do Estado via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), é vinculado ao Programa Ciência na Escola (PCE), iniciativa de incentivo à pesquisa na educação básica.

Segundo o coordenador do projeto, professor Raimundo Nonato, os alunos começaram a criar interesse pelo tema influenciados por seus pais e avós que sempre utilizaram ervas como remédios. “Nós trabalhamos o projeto em nossa escola juntamente com a comunidade. Os moradores daqui sempre utilizam ervas medicinais contra doenças em seu cotidiano. Realizamos pesquisas de campo, históricas, visitas aos sítios de moradores, plantações de mudas nos canteiros da escola, exposições e depoimentos do poder das plantas pelos próprios moradores e nos sentimos felizes em difundir estes conhecimentos para outras pessoas leigas”, afirmou.

Herbário de Plantas Medicinais

Plantas Medicinais são objetos de pesquisas vinculadas ao PCE (Foto: Divulgação/PCE)

Plantas Medicinais são objetos de pesquisas vinculadas ao PCE (Foto: Divulgação/PCE)

Outra iniciativa que aborda a medicina tradicional é o projeto ‘Herbário de Plantas Medicinais – Educação Ambiental, Preservação e Valorização’, sob coordenação da professora Janice de Castro. Segundo a coordenadora, as ervas podem oferecer diversos benefícios para a sociedade.

“Estamos trabalhando pela quarta vez consecutiva com plantas medicinais e estamos cada vez mais fascinados com a infinidade de riquezas que as plantas têm para nos oferecer. Sempre nos deparamos com o desconhecido e sentimos necessidade de nos inovarmos junto com a ciência”, disse.

Segundo Castro, antes de ir para a prática, os alunos realizam pesquisas teóricas aprofundadas e depois partem para a prática na comunidade. “Conversamos com as famílias dos alunos, parteiras, pessoas que trabalham com ervas e assim os alunos absorvem conhecimentos importantes para a iniciação profissional, relacionados à biodiversidade, biopirataria, preservação ambiental e demais assuntos que possam incentivas suas carreiras”, disse.

Janice Castro afirma que os projetos de iniciação científica podem transformar a vida dos jovens, que podem tornar-se grandes profissionais no futuro. “Acredito que daqui sairão excelentes cientistas e pesquisadores”, afirma a coordenadora que trabalha no município de Itacoatiara.

Sobre o PCE

O Programa Ciência na Escola é uma ação criada pela FAPEAM objetivando a participação de professores e estudantes de escolas públicas estaduais no Amazonas e municipais de Manaus em projetos de pesquisa científica e tecnológica a serem desenvolvidos nas escolas.

Fonte: FAPEAM

Próximos Eventos