+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Programa StartupRio ganha sede em prédio histórico

O Governo do Estado inaugurou, nesta terça-feira (1/7), a sede do programa StartupRio, em um conjunto arquitetônico tombado pelo patrimônio público, no Catete. O prédio foi cedido pela Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) para a Secretaria de Ciência e Tecnologia, desenvolvedora do projeto, que realizou a reforma orçada em R$ 1,5 milhão.

– O Estado tem investido em parcerias com centros de pesquisas e universidades. O Rio conseguiu atrair, hoje, 19 dos 20 centros de pesquisas que estão se instalando no Brasil. O Startup é um motivador – afirmou o governador Luiz Fernando Pezão.

A sede do programa Startup Rio foi instalada em um dos três edifícios que compõem o conjunto arquitetônico no Catete. Com três andares e área total de 600 metros quadrados, o local tem quatro salões para os empreendedores trabalharem em esquema de co-working, salas de reuniões, cabines para conferências privadas, auditório, lounge e cafeteria. No prédio da frente, será instalada, futuramente, a Biblioteca Barbosa Lima Sobrinho, e, no prédio do fundo, a sede do programa Startup-Bio, ainda em desenvolvimento.

– O espaço de co-working facilita a troca de ideias e o desenvolvimento dos projetos em um espírito colaborativo. Na sede, também poderão ser realizadas palestras, cursos e workshops sobre tecnologia e inovação. O objetivo é fomentar o ecossistema empreendedor no Rio de Janeiro – explicou o secretário de Ciência e Tecnologia, Tande Vieira.

Central de ideias

O programa Startup Rio foi lançado no fim de 2013 por meio de edital da Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa no Estado do Rio). Foram selecionados 50 projetos para serem desenvolvidos ao longo de um ano, com apoio financeiro de até R$ 100 mil para cada um. As outorgas foram entregues no último dia 15 de maio e os recursos financeiros já estão sendo liberados. Os empreendedores também serão acompanhados e orientados por especialistas renomados na área de tecnologia.

 – As ideias são denominadas startups e selecionamos 50. Vamos criar um ambiente ideal para que elas sejam implementadas. O estado do Rio vai virar um modelo de empreendedorismo digital – disse o diretor da Faperj, Rui Garcia Marques.

Os pesquisadores Miguel Ângelo Gaspar Pinto, de 34 anos, e Frederico Tannenbaum, de 25, tiveram projetos selecionados pelo StartupRio. Na avaliação deles, a iniciativa é fundamental para tirar o sonho dos pesquisadores do papel e transformá-los em aplicativos e softwares.

– Os investidores dificilmente compram novas ideias. O Startup Rio vai dar o suporte necessário para os pesquisadores – disse Miguel Ângelo, que desenvolve o aplicativo Melhor Médico para ajudar a população a escolher um bom profissional para cuidar da saúde.

Para Frederico Tannenbaum, a oportunidade de trocar experiências com uma equipe americana do Google vai ser importante para finalizar o aplicativo que pretende desenvolver. Técnicos americanos participarão de encontros com os pesquisadores nas próximas semanas.

– Estou ansioso por este encontro. Quero desenvolver um aplicativo para mobilizar a cidadania. Preciso juntar boas ideias e criar condições de tirá-las do papel – disse o jovem pesquisador.

O programa Startup contou ainda com o apoio da Faetec, Assespro-RJ, Sebrae, Confrapar, Cisco e Rio Negócios.

Fonte: SECT-RJ

Próximos Eventos