Giro nos Estados

Programa Centelha comprova a vocação empreendedora do Rio Grande do Sul

O Programa Centelha encerrou suas inscrições, nesta quinta-feira (18), fechando a primeira etapa do Programa, que teve a sua estreia nacional no Rio Grande do Sul no final de maio, com 784 ideias submetidas, 1971 pessoas envolvidas nas equipes, 1058 participantes cadastrados, e 300 ideias iniciadas (sem submissão).

O Programa Centelha RS é uma iniciativa nacional, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap). O objetivo do programa é incentivar o empreendedorismo inovador, buscando transformar ideias de estudantes, pesquisadores, professores, empreendedores, em negócios de base tecnológica, oferecendo recursos de subvenção econômica, não reembolsáveis, disponibilizando R$ 1,84 milhão para até 50 ideias inovadoras.

No Rio Grande do Sul o programa é executado pelo governo do estado, por meio da FAPERGS, vinculada à Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia – SICT, em parceira com Sebrae RS, Badesul e Reginp (Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação). Os parceiros estaduais foram responsáveis por realizar workshops de divulgação do Centelha RS em diversas regiões do estado e farão o acompanhamento técnico das empresas selecionadas no programa, inserindo-as nos projetos de incentivo ao empreendedorismo.

A divulgação do Centelha RS atingiu as sete mesorregiões do estado, definidas pelo IBGE, e resultou na participação de 104 municípios com ideias submetidas. A região Metropolitana de Porto Alegre teve o maior número de submissão de ideias inovadoras com 418 ideias, seguida do Noroeste Rio-Grandense com 111 ideias.

Das 19 linhas temáticas de inserção dos projetos, as que mais receberam inscrições foram Tecnologia Social com 24% e Tecnologia da Informação e Telecomunicação com 15,7%.

Os setores de aplicação das ideias submetidas que tiveram o maior número de inserção de ideias foram: Saúde e Bem Estar com 190 ideias; Social com 184; Tecnologia da Informação e Telecomunicação com 164; Comércio e Varejo com 146; Agronegócio com 140; Meio Ambiente e Bioeconomia com 117; Educação com 114 e Economia Criativa com 104.

O Programa Centelha RS teve a participação de proponentes de ideias que declaram suas instituições de vínculo sendo 25% em Institutos de Ciência e Tecnologia – ICTs ; 44,8 com vínculos diversos; 15,3% com Incubadoras, 11% com empresas e 3,2% Administração Pública.

Agora o Programa irá para a segunda fase onde os proponentes, que tiverem suas ideias aprovadas, deverão, então, elaborar um projeto de empreendimento, detalhando o plano de negócio executivo com o objetivo de demonstrar as chances da ideia gerar um bom negócio.

Fonte: Fapergs

Próximos Eventos